Site da Arquidiocese de Fortaleza

Acesse o site de nossa arquidiocese e fique bem informado.

Palavra do Pastor

Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, Arcebispo Metropolitano de Fortaleza

27 de fev de 2013

BENTO XVI
Catequese
Praça São Pedro
Quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Venerados irmãos no Episcopado e no Sacerdócio!
Ilustres Autoridades!
Queridos irmãos e irmãs!
Agradeço-vos por terem vindo em tão grande número para esta minha última Audiência geral.

Obrigado de coração! Estou realmente tocado! E vejo a Igreja viva! E penso que devemos também dizer um obrigado ao Criador pelo tempo belo que nos doa agora ainda no inverno.
Como o apóstolo Paulo no texto bíblico que ouvimos, também eu sinto no meu coração o dever de agradecer sobretudo a Deus, que guia e faz crescer a Igreja, que semeia a sua Palavra e assim alimenta a fé no seu Povo. Neste momento a minha alma se expande para abraçar toda a Igreja espalhada no mundo; e dou graças a Deus pelas “notícias” que nestes anos do ministério petrino pude receber sobre a fé no Senhor Jesus Cristo, e da caridade que circula realmente no Corpo da Igreja e o faz viver no amor, e da esperança que nos abre e nos orienta para a vida em plenitude, rumo à pátria do Céu.

Sinto levar todos na oração, um presente que é aquele de Deus, onde acolho em cada encontro, cada viagem, cada visita pastoral. Tudo e todos acolho na oração para confiá-los ao Senhor: para que tenhamos plena consciência da sua vontade, com toda sabedoria e inteligência espiritual, e para que possamos agir de maneira digna a Ele, ao seu amor, levando frutos em cada boa obra (cfr Col 1,9-10).
Neste momento, há em mim uma grande confiança, porque sei, todos nós sabemos, que a Palavra de verdade do Evangelho é a força da Igreja, é a sua vida. O Evangelho purifica e renova, traz frutos, onde quer que a comunidade de crentes o escuta e acolhe a graça de Deus na verdade e vive na caridade. Esta é a minha confiança, esta é a minha alegria.

Quando, em 19 de abril há quase oito anos, aceitei assumir o ministério petrino, tive a firme certeza que sempre me acompanhou: esta certeza da vida da Igreja, da Palavra de Deus. Naquele momento, como já expressei muitas vezes, as palavras que ressoaram no meu coração foram: Senhor, porque me pedes isto e o que me pede? É um peso grande este que me coloca sobre as costas, mas se Tu lo me pedes, sobre tua palavra lançarei as redes, seguro de que Tu me guiarás, mesmo com todas as minhas fraquezas. E oito anos depois posso dizer que o Senhor me guiou, esteve próximo a mim, pude perceber cotidianamente a sua presença. Foi uma parte do caminho da Igreja que teve momentos de alegria e de luz, mas também momentos não fáceis; senti-me como São Pedro com os Apóstolos na barca no mar da Galileia: o Senhor nos doou tantos dias de sol e de leve brisa, dias no qual a pesca foi abundante; houve momentos também nos quais as águas eram agitadas e o vento contrário, como em toda a história da Igreja, e o Senhor parecia dormir. Mas sempre soube que naquela barca está o Senhor e sempre soube que a barca da Igreja não é minha, não é nossa, mas é Sua. E o Senhor não a deixa afundar; é Ele que a conduz, certamente também através dos homens que escolheu, porque assim quis. Esta foi e é uma certeza, que nada pode ofuscá-la.  E é por isto que hoje o meu coração está cheio de agradecimento a Deus porque não fez nunca faltar a toda a Igreja e também a mim o seu consolo, a sua luz, o seu amor.
Estamos no Ano da Fé, que desejei para reforçar propriamente a nossa fé em Deus em um contexto que parece colocá-Lo sempre mais em segundo plano. Gostaria de convidar todos a renovar a firme confiança no Senhor, a confiar-nos como crianças nos braços de Deus, certo de que aqueles braços nos sustentam sempre e são aquilo que nos permite caminhar a cada dia, mesmo no cansaço. Gostaria que cada um se sentisse amado por aquele Deus que doou o seu Filho por nós e que nos mostrou o seu amor sem limites. Gostaria que cada um sentisse a alegria de ser cristão. Em uma bela oração para recitar-se cotidianamente de manhã se diz: “Adoro-te, meu Deus, e te amo com todo o coração. Agradeço-te por ter me criado, feito cristão…”. Sim, somos contentes pelo dom da fé; é o bem mais precioso, que ninguém pode nos tirar! Agradeçamos ao Senhor por isto todos os dias, com a oração e com uma vida cristã coerente. Deus nos ama, mas espera que nós também o amemos!

Mas não é somente a Deus que quero agradecer neste momento. Um Papa não está sozinho na guia da barca de Pedro, mesmo que seja a sua primeira responsabilidade. Eu nunca me senti sozinho no levar a alegria e o peso do ministério petrino; o Senhor colocou tantas pessoas que, com generosidade e amor a Deus e à Igreja, ajudaram-me e foram próximas a mim. Antes de tudo vós, queridos Cardeais: a vossa sabedoria, os vossos conselhos, a vossa amizade foram preciosos para mim; os meus Colaboradores, a começar pelo meu Secretário de Estado que me acompanhou com fidelidade nestes anos; a Secretaria de Estado e toda a Cúria Romana, como também todos aqueles que, nos vários setores, prestaram o seu serviço à Santa Sé: são muitas faces que não aparecem, permanecem na sombra, mas propriamente no silêncio, na dedicação cotidiana, com espírito de fé e humildade foram para mim um apoio seguro e confiável. Um pensamento especial à Igreja de Roma, a minha Diocese! Não posso esquecer os Irmãos no Episcopado e no Sacerdócio, as pessoas consagradas e todo o Povo de Deus: nas visitas pastorais, nos encontros, nas audiências, nas viagens, sempre percebi grande atenção e profundo afeto; mas também eu quis bem a todos e a cada um, sem distinções, com aquela caridade pastoral que é o coração de cada Pastor, sobretudo do Bispo de Roma, do Sucessor do Apóstolo Pedro. Em cada dia levei cada um de vós na oração, com o coração de pai.
Gostaria que a minha saudação e o meu agradecimento alcançasse todos: o coração de um Papa se expande ao mundo inteiro. E gostaria de expressar a minha gratidão ao Corpo diplomático junto à Santa Sé, que torna presente a grande família das Nações. Aqui penso também em todos aqueles que trabalham para uma boa comunicação, a quem agradeço pelo seu importante serviço.

Neste ponto gostaria de agradecer verdadeiramente de coração todas as numerosas pessoas em todo o mundo, que nas últimas semanas me enviaram sinais comoventes de atenção, de amizade e de oração. Sim, o Papa não está nunca sozinho, agora experimento isso mais uma vez de um modo tão grande que toca o coração. O Papa pertence a todos e tantas pessoas se sentem muito próximas a ele. É verdade que recebo cartas dos grandes do mundo – dos Chefes de Estado, dos Líderes religiosos, de representantes do mundo da cultura, etc. Mas recebo muitas cartas de pessoas simples que me escrevem simplesmente do seu coração e me fazem sentir o seu afeto, que nasce do estar junto com Cristo Jesus, na Igreja. Estas pessoas não me escrevem como se escreve, por exemplo, a um príncipe ou a um grande que não se conhece. Escrevem-me como irmãos e irmãs ou como filhos e filhas, com o sentido de uma ligação familiar muito afetuosa. Aqui pode se tocar com a mão o que é a Igreja – não uma organização, uma associação para fins religiosos ou humanitários, mas um corpo vivo, uma comunhão de irmãos e irmãs no Corpo de Jesus Cristo, que une todos nós. Experimentar a Igreja deste modo e poder quase tocar com as mãos a força da sua verdade e do seu amor é motivo de alegria, em um tempo no qual tantos falam do seu declínio. Mas vejamos como a Igreja é viva hoje!
Nestes últimos meses, senti que as minhas forças estavam diminuindo e pedi a Deus com insistência, na oração, para iluminar-me com a sua luz para fazer-me tomar a decisão mais justa não para o meu bem, mas para o bem da Igreja. Dei este passo na plena consciência da sua gravidade e também inovação, mas com profunda serenidade na alma. Amar a Igreja significa também ter coragem de fazer escolhas difíceis, sofrer, tendo sempre em vista o bem da Igreja e não de si próprio.
Aqui, permitam-me voltar mais uma vez a 19 de abril de 2005. A gravidade da decisão foi propriamente no fato de que daquele momento em diante eu estava empenhado sempre e para sempre no Senhor. Sempre – quem assume o ministério petrino já não tem mais privacidade alguma. Pertence sempre e totalmente a todos, a toda a Igreja. Sua vida vem, por assim dizer, totalmente privada da dimensão privada. Pude experimentar, e o experimento precisamente agora, que se recebe a própria vida quando a doa. Antes disse que muitas pessoas que amam o Senhor amam também o Sucessor de São Pedro e estão afeiçoadas a ele; que o Papa tem verdadeiramente irmãos e irmãs, filhos e filhas em todo o mundo, e que se sente seguro no abraço da vossa comunhão; porque não pertence mais a si mesmo, pertence a todos e todos pertencem a ele.
O “sempre” é também um “para sempre” – não há mais um retornar ao privado. A minha decisão de renunciar ao exercício ativo do ministério não revoga isto. Não retorno à vida privada, a uma vida de viagens, encontros, recepções, conferências, etc. Não abandono a cruz, mas estou de modo novo junto ao Senhor Crucificado. Não carrego mais o poder do ofício para o governo da Igreja, mas no serviço da oração estou, por assim dizer, no recinto de São Pedro. São Benedito, cujo nome levo como Papa, será pra mim de grande exemplo nisto. Ele nos mostrou o caminho para uma vida que, ativa ou passiva, pertence totalmente à obra de Deus.

Agradeço a todos e a cada um também pelo respeito e pela compreensão com o qual me acolheram nesta decisão tão importante. Continuarei a acompanhar o caminho da Igreja com a oração e a reflexão, com aquela dedicação ao Senhor e à sua Esposa que busquei viver até agora a cada dia e que quero viver sempre. Peço-vos para lembrarem-se de mim diante de Deus e, sobretudo, para rezar pelo Cardeais, chamados a uma tarefa tão importante, e pelo novo Sucessor do Apóstolo Pedro: o Senhor o acompanhe com a sua luz e a força do seu Espírito.
Invoquemos a materna intercessão da Virgem Maria Mãe de Deus e da Igreja para que acompanhe cada um de nós e toda a comunidade eclesial; a ela nos confiemos, com profunda confiança.

Queridos amigos! Deus guia a sua Igreja, a apoia mesmo e sobretudo nos momentos difíceis. Não percamos nunca esta visão de fé, que é a única verdadeira visão do caminho da Igreja e do mundo. No nosso coração, no coração de cada um de vós, haja sempre a alegre certeza de que o Senhor está ao nosso lado, não nos abandona, está próximo a nós e nos acolhe com o seu amor. Obrigado!

Benedictus XVI

25 de fev de 2013

QUEREMOS DEUS 2013

Aconteceu no dia 24 de fevereiro de 2013 mais uma edição do evento Queremos Deus, promovido pela FAMÍLIA CARISMÁTICA, presente na Arquidiocese de Fortaleza e demais Dioceses do Ceará (Regional Nordeste I da CNBB).
 
Estiveram reunidos na tarde domingo mais de 40 mil fieis unidos em oração e em louvor. Na ocasião apresentaram-se o cantor católico e pregador Diego Fernandes, a Ir. Kelly Patrícia, os cantores Ítalo e Reno, entre outras apresentações. Pontos fortes do evento foram o momento de Adoração ao Santíssimo Sacramento presidido pelo Pe. Watson Holanda com a participação de alguns jovens, e a Missa presidida pelo Arcebispo de Fortaleza, Dom José Antônio.
 
O Queremos Deus 2013 teve como público alvo os jovens, em vista da JMJ Rio 2013, da CF 2013 e pela importância mesma que os jovens tem no contexto atual de Igreja.
 
A Pastoral Vocacional esteve presente.



 
 

24 de fev de 2013

MISSA NA TVC

Na manhã deste domingo, 24 de fevereiro, o coordenador da Pastoral Vocacional presidiu a Santa Missa na TVC, Canal 5, e alguns seminaristas do Propedêutico da Arquidiocese participaram na animação dos cantos.












23 de fev de 2013

Aconteceu!!!!!!!!!!!!!!!!
 
A Pastoral Vocacional de Fortaleza não pára!

No sábado, dia 23 de fevereiro de 2013 aconteceram algumas atividades da Pastoral Vocacional ou em que a Pastoral Vocacional esteve envolvida. Veja:
 
Encontro das Coordenações Paroquiais de Coroinhas
 
Na manhã do sábado, 24 de fevereiro, no Seminário Propedêutico, ocorreu a primeira reunião dos coordenadores de coroinhas/acólitos. Muitos coordenadores se fizeram presentes. Na pauta a construção de orientações, em nível diocesano, para os coroinhas. Após o momento de oração foram divididos grupos de estudo.
Foi apenas o início das contribuições que também deverão passar pelo aval do Arcebispo de Fortaleza.




II Encontro de Catequese do Arcebispo com os jovens

Já na tarde do sábado, na Catedral Metropolitana, aconteceu o II encontro de Catequese do Arcebispo com os jovens. Neste sábado a animação e organização da tarde ficou por conta da Pastoral Vocacional e do Seminário Propedêutico. Assim na animação dos cantos alguns seminaristas e músicos da Comunidade Recado ajudaram os jovens a rezar e louvar. Após a Catequese o sorteio de mais exemplares do YOUCAT, seguido do testemunho de Moysés Azevedo, Fundador da Comunidade Shalom. Na sequência perguntas dos jovens ao Arcebispo.
A tarde foi encerrada com a Celebração da Eucaristia, concelebrada por Dom Vasconcelos, Bispo Auxiliar de Fortaleza e vários sacerdotes.
 
Atenção!!!! Os jovens que quiserem entrar em contato com o serviço de discernimento vocacional procurar em sua Paróquia falar com seu Pároco e depois este encaminha para o discernimento vocacional em nosso Seminário Propedêutico.
 





22 de fev de 2013




Mensagem ao final da Missa pela passagem do aniversário natalício


Antes de tudo um muito obrigado ao Senhor Deus que nos reuniu hoje, nesta noite de 21 de fevereiro de 2013. Obrigado ao Sr. Bispo Auxiliar, Dom Rosalvo, que presidiu esta celebração, obrigado a presença dos meus familiares, do irmão Pe. José Filho, dos amigos e irmãos das Equipes de Nossa Senhora, da Comunidade Católica Shalom, da Comunidade Canção Nova, Comunidade Recado, outros amigos que vieram de comunidades paroquiais: Caucaia, Maranguape, Henrique Jorge, e outros amigos e amigas que o Senhor foi me concedendo no decorrer destes anos de vida; amigos que fomos conhecendo nos caminhos percorridos até aqui. Um obrigado especial aos seminaristas, esperança de renovação santa para a Igreja de nosso dias, e especialmente aos seminaristas que formam esta comunidade do Propedêutico de 2013, minha família. A todos muito obrigado pela presença.

Queridos amigos e irmãos,

Estamos aqui hoje com o pretexto de celebrarmos o dom da vida. Saber-se criado para viver eternamente, inclusive depois da morte física, pois nascemos para a eternidade, faz pensar muito sobre o sentido da nossa existência e do que estamos fazendo aqui nesta terra. Aos 34 anos esse questionamento parece ser maior e mais intenso, pelo menos para mim. Não raro tenho me pegado pensando na escolha e eleição de Deus para comigo, e não posso acreditar que simplesmente “passamos por aqui” e pronto, tudo acabou depois de falecido o nosso corpo! Pensar que tudo acaba aqui mesmo na Terra deixa nossa vida sem sentido, vazia, até mesmo sem rumo. A vida é bela e grande demais para não ter sentido, para não ser posta em favor de algo.

Há alguns dias atrás fomos pegos de surpresa pela renúncia do Papa Bento XVI, mas esse Papa, inclusive com sua renúncia, tem-nos feito pensar muito no sentido que damos à vida e no sentido da vida. É o próprio Bento XVI quem nos questiona: “O que conta verdadeiramente na nossa vida?” (Catequese, 13.02.13). Essa pergunta é inquietante e muitos homens e mulheres que passaram por aqui procuraram respondê-la e só encontraram resposta com sentido pleno quando encontraram essa resposta em Deus, como nos lembra o Beato Charles de Foucauld: “Depois de ter descoberto que existe Deus, torna-se-me impossível não viver só para Ele”. É verdade! É Deus quem dá sentido à vida, afinal descobrimos que viemos dele e para ele voltaremos.

“O que conta verdadeiramente nessa vida?”, onde possuir bens, ter poder sobre os outros, demonstrar status, satisfazer os desejos e ambições individuais ganham cada vez mais espaço; O que importa nessa vida? Essa pergunta inquietou Santo Agostinho, que ao encontrar a resposta exclamou: “Fizeste-nos para Ti e inquieto está o nosso coração enquanto não repousar em Ti”.

Um dia todos nós que aqui estamos descobrimos o sentido de nossa vida e o lugar do Senhor nela: “Adorarás ao Senhor teu Deus e só a ele prestarás culto”. Essa constatação requererá fazermos da nossa vida um caminho de conversão que “exige trabalhar as nossas escolhas à luz da Palavra de Deus” (Bento XVI, Catequese 13.02.13).

Como Padre, escolhido pelo Senhor para viver o Ministério Sagrado sobre a Terra e levar muitas almas para ele, retomo as palavras de S. José Maria Escrivá quando diz: “É bom dar glória a Deus sem buscar antecipações – mulher, filhos, honras – dessa glória de que gozamos plenamente com Ele na Vida... Além disso, Ele é generoso... Dá cem por um; e isso é verdade, mesmo nos filhos. – Muitos se privam deles pela glória de Deus, e têm milhares de filhos do seu espírito. – Filhos, como nós o somos do nosso Pai que está nos céus” (Caminho, n.779). E aqui estão alguns dos inúmeros filhos que o Senhor me deu, como Pastor e Pai de um rebanho numeroso.

Amigos, para mim é uma honra ter a presença de cada um de vocês aqui comigo, neste tempo quaresmal, em que à espera da Páscoa do Senhor, vitória definitiva da Vida sobre a morte, estamos celebrando o dom da vida. Assim, nessa espera penitencial e ao mesmo tempo gozosa, “o homem interior deve preparar-se para ser visitado por Deus, e por isto não deve deixar-se invadir pelas ilusões, pelas aparências, pelas coisas materiais” (Bento XVI, op. Cit.) e gostaria que todos saíssemos daqui com essa convicção.

Caminhemos juntos, espiritualmente, neste favorável, em que marchamos para cantar mais uma vez o Exultet Pascal. Caminhemos juntos para o Senhor, abrindo espaço cada vez maior para o Amor, inclusive para que não amemos por ou as aparências, mas de fato e de verdade. Ao falar de vida e de amor, de aparências e de verdade, gostaria que ficássemos com um último conselho, que vem da Beata Teresa de Calcutá: “Não ame pela beleza, pois um dia ela acaba. Não ame por admiração, pois um dia você pode se decepcionar. Ame apenas, pois o tempo nunca pode acabar com um amor sem explicação”. Esse amor Deus tem por nós, esse amor devemos tê-lo pelo Senhor.

Obrigado pela presença de todos,

Deus abençoe,

Pe. Rafhael Silva Maciel

20 de fev de 2013

Encontro de Dom José Antônio com a CRB Fortaleza

No dia 19 de fevereiro, no Centro de Pastoral Maria, Mãe da Igreja, aconteceu encontro do Arcebispo de Fortaleza, Dom José Antônio, com os Superiores e representantes das Congregações Religiosas presentes na Arquidiocese. Estiveram presentes a Diretoria da CRB Regional Nordeste I e vários religiosos e religiosas.
Na pauta a presença da Vida Religiosa na Arquidiocese, a pertença e reestruturação dos Núcleos da CRB em Fortaleza e a questão vocacional.
Esteve presente à reunião o Coordenador da Pastoral Vocacional, Pe. Rafhael, que ouviu as propostad da CRB e repassou para os presentes a agenda "comum" a todos os seguimentos vocacionais presentes na nossa Igreja Local.
Foi um belo encontro marcado pela fraternidade e vontade de levar adiante o anúncio do Evangelho.



ACONTECEU NA ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA!

Veja fotos das atividades mais recentes da Pastoral Vocacional da Arquidiocese de Fortaleza.

* Dias 16 e 17 de fevereiro:
 
I Catequese do Arcebispo, Dom José Antônio, com os jovens, na Catedral
 
A Catedral Metropolitana de Fortaleza estava repleta de jovens na I Catequese Quaresmal sobre os Artigos da Fé do Arcebispo de Fortaleza.
Esta I Catequese esteve sob a responsabilidade da Comunidade Católica Shalom, contou ainda com o testemunho do Pe. Denys, CCSh, sorteio de 100 YouCat, perguntas e respostas entre os jovens e o Arcebispo, e foi finalizada com a Celebração Eucarística presidida pelo próprio Arcebispo.
 
PRÓXIMO SÁBADO, 23 de fevereiro, ACONTECE A II CATEQUESE, SOB A RESPONSABILIDADE DA PASTORAL VOCACIONAL DA ARQUIDIOCESE,  a partir das 16h, NA CATEDRAL METROPOLITANA. 







I Encontro Vocacional Diocesano

Logo após a Catequese alguns jovens que sentem o chamado ao sacerdócio e estão fazendo seu caminho de discernimento vocacional participaram do I Encontro Vocacional da Arquidiocese de Fortaleza, que aconteceu no Seminário Propedêutico.
O encontro teve momentos fortes de oração e formação!
 
O PRÓXIMO ENCONTRO VOCACIONAL ACONTECERÁ DIAS 16 E 17 DE MARÇO, COMEÇANDO NA CATEDRAL, às 16h, COM A CATEQUESE.




15 de fev de 2013


“Encontro marcado com os jovens.”



O Arcebispo de Fortaleza realizará, nos sábados da Quaresma as Catequeses Quaresmais sobre os tópicos do YOUCAT para os jovens, especialmente. Esses encontros acontecerão na Catedral Metropolitana, sempre a partir das 16h. 

Leia, na íntegra, a Mensagem do Arcebispo para os jovens:

Este ano de 2013 nos convoca de modo todo particular a um encontro marcado com os jovens. Evento central será a  JMJ – Jornada Mundial da Juventude com o encontro do Santo Padre com os jovens na cidade do Rio de Janeiro, de 23 a 28 de julho.
Precede a JMJ uma programação preparatória que está se desenvolvendo em toda a Igreja, especialmente no Brasil, sede da Jornada. Acontecerá na semana anterior à JMJ, nas dioceses de todo o Brasil, a Semana Missionária. A mesma reunirá os jovens locais e jovens peregrinos que assim desejarem, vindos de todos os cantos da Terra. As dioceses com suas paróquias e comunidades estão se preparando para receber os jovens peregrinos da JMJ e a Semana Missionária com sua programação própria.
A este encontro mais amplo marcado com os jovens, acresce-se a Campanha da Fraternidade 2013 dedicada à Juventude no tempo da Quaresma em sua preparação para a Solenidade da Páscoa. Inicia-se a CF 2013 na Quarta-feria de Cinzas, dia 13 de fevereiro, dia em que começa o Tempo Quaresmal. Fraternidade e Juventude é o tema. “Eis-me aqui, envia-me (Is 6,8)” é o lema. “Acolher os jovens no contexto de mudança de época, propiciando caminhos para o seu protagonismo no seguimento de Jesus Cristo, na vivência eclesial e na construção de uma sociedade fraterna fundada na cultura da vida, da justiça e da paz” é o objetivo desta Campanha.
Temos assim um encontro marcado com os jovens para acolhê-los com todo amor que nos vem de Deus e com toda a esperança humana no novo da vida. Assim será possível oferecer aos jovens uma oportunidade de encontro pessoal com Jesus Cristo, que realizará com eles o projeto de uma vida plena. Deste encontro que é conjunto surge a comunhão eclesial e comunitária que os sustenta na caminhada da vida – para que possam contribuir com seus próprios dons e talentos para o bem de todos. Vidas úteis e significativas. Teremos na jovem geração os agentes do novo, os construtores da esperança , os protagonistas da civilização do amor e do bem comum.

E como estamos vivendo, por proposta do Santo Padre Bento XVI, o Ano da Fé (de 11 de Outubro de 2012 até 24 de Novembro de 2013), nada melhor que oferecer aos jovens o dom maravilhoso do Amor de Deus que nos é dado na Fé. Instrumento desta proposta respeitosa do encontro com Deus Pai em Cristo é o Catecismo da Igreja Católica, onde se apresenta a doutrina da Fé Cristã – luz e vida.
Ampliando e concretizando o chamado feito por Deus aos jovens, e por iniciativa das diversas forças jovens presentes no Setor Juventude da Arquidiocese de Fortaleza, estaremos nos sábados da Quaresma (16 e 23 de fevereiro; 9 e 16 de março) nos encontrando com os jovens na Catedral Metropolitana para uma tarde de partilha de Fé.

Como bem dizia o Beato Papa João Paulo II: “evangelizar é oferecer a Fé de modo respeitoso à inteligência e à liberdade das pessoas”.
Assim os mesmos jovens se unem conosco para este testemunho que leve outros companheiros de juventude à resposta: “Eis-me aqui, envia-me (Is 6,8)”.
O que sabemos enfim é que Jesus tem um encontro marcado com os jovens; é que nós mesmos com Ele temos um encontro marcado com os jovens.  

+ José Antonio Aparecido Tosi Marques
Arcebispo Metropolitano de Fortaleza

I ENCONTRO VOCACIONAL DIOCESANO

 
 
Acontece neste final de semana, 16 e 17 de fevereiro, o I Encontro Vocacional Diocesano de Fortaleza.
 
ATENÇÃO!!!!!!!!!!!!
 
O Encontro COMEÇA NA CATEDRAL METROPOLITANA DE FORTALEZAa partir das 16h.
Os vocacionados devem ir para a Catedral participar da Catequese Quaresmal e de lá haverá uma equipe de seminaristas para o acolhimento dos vocacionados e transporte para o translado dos vocacionados até o Seminário Propedêutico.
 
Os Párocos e os jovens que virão ao encontro devem ter em conta as seguintes observações:
 
1. Os vocacionados já devem ter terminado o Ensino Médio ou já estar próximo da conclusão do Ensino Médio.
2. Para a admissão ao Seminário a idade mínima é de 18 anos.
3.Deve-se levar em conta a participação do jovem em alguma atividade pastoral ou da vida da Igreja e apresentar uma carta de apresentação do respectivo Pároco dizendo que conhece e apresenta o jovem para os encontros de discernimento vocacional da Arquidiocese.

Espero você !!!!!!!!

Pe. Rafhael

11 de fev de 2013

Nota da Pastoral Vocacional da Arquidiocese de Fortaleza sobre a renúncia do Papa Bento XVI


Queridos irmãos,
 
Hoje recebemos uma notícia que deixa nosso coração triste, mas ao mesmo tempo nos mostra a sensibilidade do nosso Pastor, acima de todo poder e ambição. 
 
Para nós, que fazemos a Igreja Católica, querida por Jesus, faz-se de suma importância informações e atualizações corretas no âmbito de nossa comunidade universal de irmãos católicos.
 
Por isso segue em anexo, a íntegra da carta de renúncia do Pontificado de nosso querido Papa Bento XVI, uma vez que muitas notícias e especulações virão pela frente. 
 
Certamente não é sem dor que o Papa Bento XVI tomou essa decisão, e por isso devemos nos unir a ele, na oração e no sacrifício. Agora, rezemos também para que o Conclave que virá em breve seja mais uma vez iluminado pelo Espirito Santo de Amor e Sabedoria.
 
E que nós, enquanto Cristãos Católicos, apoiemos nossa Igreja em toda sua marcha na história.
 
Deus abençoe o Papa,
Deus abençoe a todos,

Pe. Rafhael Silva Maciel
Reitor do Seminário Propedêutico de Fortaleza
Coord. da Pastoral Vocacional de Fortaleza
*********************************************************************************
 
Caríssimos Irmãos,
 
Convoquei-vos para este Consistório não só por causa das três canonizações, mas também para vos comunicar uma decisão de grande importância para a vida da Igreja. Depois de ter examinado repetidamente a minha consciência diante de Deus, cheguei à certeza de que as minhas forças, devido à idade avançada, já não são idôneas para exercer adequadamente o ministério petrino. Estou bem consciente de que este ministério, pela sua essência espiritual, deve ser cumprido não só com as obras e com as palavras, mas também e igualmente sofrendo e rezando. Todavia, no mundo de hoje, sujeito a rápidas mudanças e agitado por questões de grande relevância para a vida da fé, para governar a barca de São Pedro e anunciar o Evangelho, é necessário também o vigor quer do corpo quer do espírito; vigor este, que, nos últimos meses, foi diminuindo de tal modo em mim que tenho de reconhecer a minha incapacidade para administrar bem o ministério que me foi confiado. Por isso, bem consciente da gravidade deste ato, com plena liberdade, declaro que renuncio ao ministério de Bispo de Roma, Sucessor de São Pedro, que me foi confiado pela mão dos Cardeais em 19 de Abril de 2005, pelo que, a partir de 28 de Fevereiro de 2013, às 20,00 horas, a sede de Roma, a sede de São Pedro, ficará vacante e deverá ser convocado, por aqueles a quem tal compete, o Conclave para a eleição do novo Sumo Pontífice.
Caríssimos Irmãos, verdadeiramente de coração vos agradeço por todo o amor e a fadiga com que carregastes comigo o peso do meu ministério, e peço perdão por todos os meus defeitos. Agora confiemos a Santa Igreja à solicitude do seu Pastor Supremo, Nosso Senhor Jesus Cristo, e peçamos a Maria, sua Mãe Santíssima, que assista, com a sua bondade materna, os Padres Cardeais na eleição do novo Sumo Pontífice. Pelo que me diz respeito, nomeadamente no futuro, quero servir de todo o coração, com uma vida consagrada à oração, a Santa Igreja de Deus.
 
Vaticano, 10 de Fevereiro de 2013.
BENEDICTUS PP  XVI

6 de fev de 2013

Encontro da Pastoral Vocacional da Arquidiocese de Fortaleza com Dom José Antônio

Na última terça-feira, dia 05 de fevereiro, às 9h, no Seminário Propedêutico, o Arcebispo de Fortaleza, Dom José Antônio encontrou-se com membros da Pastoral Vocacional Arquidiocesana.
 
O encontro deu início aos trabalhos de construção da Equipe Ampliada de Pastoral Vocacional, e contou já com a presença, além do Arcebispo, de alguns Padres representantes de Regiões Episcopais, leigos de Regiões Episcopais e Movimentos, Diácono Permanente e do Coordenador Arquidiocesano da Pastoral Vocacional, Pe. Rafhael.
 
No encontro foi repassada a agenda da Pastoral Vocacional para o ano de 2013, além de agendados os próximos encontros dessa Equipe com o Arcebispo.
 
Foi também constituída uma Equipe central para a organização do I Seminário de Pastoral Vocacional que acontecerá de 26 a 28 de abril de 2013. A comissão ficou assim constituída: Pe. Rafhael (PV), Pe. Roberto Reinaldo (Sem. Propedêutico), Maria José Penafort (Paróquia da Paz) e Maria de Fátima (Reitoria São Judas).
 
Serão convocados pelo Arcebispo para os próximos encontros: Um Padre por Região Episcopal, dois leigos por Região Episcopal, um Diácono Permanente, dois membros da CRB Regional - Fortaleza, dois membros dos Institutos Seculares, dois membros do FAMEC, um seminarista, um membro da Pastoral Familiar da Arquidiocese , um membro do Setor Juventude da Arquidiocese, um Formador do Seminário Propedêutico, convidados da Coordenação.
 
Os encontro acontecerão nas seguintes datas: 28 de maio, 24 de setembro, 03 de dezembro.
 
Dentre as atividades da Pastoral Vocacional para 2013 foram confirmadas:
 
09 e 10 de março > Encontro de Formação da Equipe Ampliada e Equipes Vocacionais com o Pe. Valdecir Ferreira, CNBB Nacional, no Centro de Pastoral Maria Mãe da Igreja, começando no sábado 8h.
 
26-28 de abril > I Seminário sobre Pastoral Vocacional da Arquidiocese de Fortaleza, com o tema: "As vocações e o Ano da Fé", que contará com a presença e assessoria de Dom Waldemar Passini, Bispo Auxiliar de Goiânia e referencial para a PV no Brasil, Dom José Antônio, Arcebispo de Fortaleza, Dom Rosalvo e Dom Vasconcelos, Bispos Auxiliares de Fortaleza (local em definição).
 
03 de agosto > Missa dos Coroinhas na Catedral, 08h, com Dom Rosalvo.

25 de agosto > IV Jornada Vocacional e II Feira Vocacional (local em definição).

Para maiores informações ligar: 3290.1045

Pe. Rafhael Silva Maciel
Coord. PV da Arquidiocese de Fortaleza





5 de fev de 2013

BENTO XVI AOS IRMÃOS E IRMÃS NA VIDA CONSAGRADA


 

 
Em celebração eucarística presidida sábado, 02, Dia Mundial dos Consagrados, no Bento XVI lançou três convites aos religiosos e religiosas que lotaram a Basílica Vaticana.
Em “espírito de reconhecimento e de comunhão” com as centenas de representantes dos Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica, o Papa disse que para entrar plenamente na “Porta da fé”, que está sempre aberta para nós, é preciso, em primeiro lugar, que alimentem a fé que ilumina sua vocação: “Que a proximidade a Cristo desperte o desejo e a alegria de compartilhar a vida, as escolhas, a obediência da fé, a bem-aventurança dos pobres e o amor radical”.
O segundo convite é “a uma fé que saiba reconhecer a sabedoria da fraqueza, diante das alegrias e aflições do tempo presente, em que a dureza e o peso da cruz se fazem sentir”.
Enfim, o terceiro chamado: “Convido-os a renovarem sua fé que os torna peregrinos em direção do futuro. Religiosos e religiosas não se devem unir aos profetas da desgraça que proclamam o fim ou a insensatez da vida consagrada na Igreja de hoje. Vistam-se de Jesus Cristo e usem as armas da luz” – concluiu o Papa.
Bento XVI explicou o significado da bênção e da procissão de velas do início do rito, quando os membros das congregações religiosas fazem a profissão pública de votos de castidade, pobreza e obediência:
“Este sinal, específico da tradição litúrgica desta festa, é muito expressivo. Manifesta a beleza e o valor da vida consagrada como reflexo da luz de Cristo”.
O Dia Mundial do Consagrado é celebrado anualmente em concomitância com a festa litúrgica da Apresentação do Senhor, quando se evoca o momento em que Jesus, pequeno, foi simbolicamente oferecido a Deus no templo de Jerusalém, de acordo com a tradição judaica.

Fonte: site canção nova

Fique ligado - Jubileu 16