Site da Arquidiocese de Fortaleza

Acesse o site de nossa arquidiocese e fique bem informado.

Palavra do Pastor

Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, Arcebispo Metropolitano de Fortaleza

29 de dez de 2014

Um Feliz e Santo Natal e um abençoado Ano Novo!





























Caríssimos amigos leitores, em especial aos jovens que sentem o chamado à vocação sacerdotal e todos aqueles que sentem o chamado de Deus em seu coração. Nós da Pastoral Vocacional de Fortaleza, queremos desejar de coração um Feliz e Santo Natal pra vocês, que nos acompanharam neste ano de 2014.

É uma alegria tê-los conosco e nos acompanhando através deste blog, da nossa página no facebook, do nosso Instagram e agradecer também pela participação de muitos, nos eventos realizados neste ano pela Pastoral Vocacional, em especial a Jornada Vocacional. Que a experiência do nascimento do Menino Jesus, seja constante no próximo ano em nossos corações, façamos de cada dia um Natal, fazendo a experiência do amor de Deus que nos chama a segui-lo.       

Jovens, irmãos e irmãs, que o ano 2015 seja um ano abençoado por Deus e que nos desejemos alcançar pela perspectiva de uma esperança nova, e que possamos amar o nosso próximo como Jesus nos amou. Esteja conosco neste próximo ano, nos acompanhando por aqui e participando dos nossos eventos. Essas são as nossas mais singelas felicitações a vocês. Deus abençoe e que a Virgem Santíssima os guarde sempre. Pedimos sempre as suas orações pelas vocações em especial as vocações sacerdotais. 

Por Pastoral Vocacional de Fortaleza

27 de dez de 2014

“Estou que não caibo em mim de tanta alegria”,diz novo sacerdote em primeira missa

A primeira missa do Padre Vicente Oliveira aconteceu nesta sexta-feira, dia 26, na

Padre Vicente Oliveira presidiu a primeira missa em Caucaia. O neo-sacerdote estava visivelmente emocionado.
Padre Vicente Oliveira presidiu a primeira missa em Caucaia. O neo-sacerdote estava visivelmente emocionado.

Paróquia Nossa Senhora dos Prazeres, Igreja Matriz de Caucaia-CE. Junto com outros dez sacerdotes, Vicente foi ordenado no último dia 22, pela Oração Consecratória e imposição das mãos de Dom José Antonio, arcebispo de Fortaleza.
Era visível a emoção do novo padre. “Estou que não caibo em mim de tanta alegria”, foi uma de suas primeiras palavras ao subir ao presbitério ao lado dos demais sacerdotes concelebrantes, diácono e seminaristas. A Igreja com arrumação, liturgia e  beleza impecável encheu-se dos familiares e convidados do padre, pessoas que fazem parte de sua história vocacional. 
A homilia da 1ª missa de um sacerdote, como é tradição da Igreja, é feita por um padre convidado pelo neo-ordenado, neste caso,o escolhido foi Padre Rafhael Maciel, Reitor do Seminário Propedêutico e amigo de Padre Vicente deste os tempos do período formativo.
Padre Rafhael iniciou destacando o contexto da primeira missa do jovem sacerdote. “Ela acontece dentro do mistério do Natal e da festa de Santo estevão, um dos primeiros diáconos da Igreja primitiva e o primeiro que foi morto por causa de Jesus”, explicou.
“Assim como Nosso Senhor escolheu Estevão há mais de dois mil anos, nestes dias Ele confirmou a escolha do padre Vicente. E confirmará tantos quantos o Senhor queira. Como diz o Evangelho de hoje, ‘aquele que perseverar até o final será salvo’”, disse o padre.
Relembrando São João Maria Vianey, patrono do sacerdotes, padre Rafhael relembrou que só entenderemos bem o que é um padre, no céu. “O sacerdote deve ser um homem íntegro que procura dar testemunho de vida e de santidade. Que as pessoas olhando um padre ao passar digam, ali vai um padre; ali vai Jesus”.
O padre concluiu a homilia fazendo um convite. “Se tiver alguém aqui que pensa em ser padre, não tenha medo. Deus não nos tira nada, ele nos dá tudo. E mais do que pedimos”.

Escute a Homilia na íntegra




Fonte: Blog Ancoradouro

15 de dez de 2014

NOTA DE PESAR PELO FALECIMENTO DE DOM BEDA PEREIRA DE HOLANDA

Fortaleza, 15 de dezembro de 2014

A Pastoral Vocacional da Arquidiocese manifesta o seu pesar pelo falecimento do amigo e irmão presbítero Dom Beda Pereira de Holanda. O falecimento ocorreu na manhã de hoje, 15 de dezembro de 2014.
Dom Beda era membro da Ordem de São Bento, foi Abade do Mosteiro de São Bento, em Olinda e Recife, e há alguns anos exercia o seu Ministério Presbiteral e vivia sua vida monacal em nossa Arquidiocese de Fortaleza.
Dom Beda, sempre se mostrou próximo do Arcebispo de Fortaleza além dos Padres e seminaristas de nossa Arquidiocese, ouvindo-os atentamente com seu jeito simples no contato mais direto.
As nossas preces aos familiares, a Dom José Antonio, Arcebispo de Fortaleza, à Ordem de São Bento e a todo povo que acompanhou a vida deste nosso irmão, Dom Beda. Agradeçamos a Deus, o dom da vida deste nosso amado irmão no presbitério e caminhemos na esperança da vida que o Crucificado-Ressuscitado nos acompanha.


Pe. Rafhael Silva Maciel
Reitor do Seminário Propedêutico 
Coord. Arquidiocesano da Pastoral Vocacional

12 de dez de 2014

Dom José Antonio ordenará 11 novos padres para o serviço do povo de Deus em Fortaleza


No próximo dia 22 de dezembro, na comemoração do aniversário da Dedicação da Igreja Catedral e dentro das celebrações jubilares dos 100 anos da Arquidiocese de Fortaleza, Sua Excelência Reverendíssima, Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, Arcebispo Metropolitano, ordenará 11 novos padres para o serviço do povo de Deus. Os 11 jovens, após o período da formação inicial e o exercício do ministério diaconal recebido no último dia 25 de Agosto, se preparam para receberem o Sacramento da Ordem no grau do presbiterato. “É uma grande graça, é dom de Deus, poder chegar a este sublime momento em que o Senhor da Messe confirmará o nosso chamado e, pelo Espírito Santo, nos consagrará para a missão. Estamos muito felizes e queremos, com a oferta da nossa vida, corresponder este chamado com fidelidade e amor”, afirma o Diácono Vicente Oliveira. A celebração solene iniciará às 18:30h na Igreja Catedral Metropolitana de Fortaleza. Os ordenandos são:
 Diác. Alex de Brito Sátiro
Paróquia de origem: Nossa Senhora da Glória – Cidade dos Funcionários.
Diaconato: Área Pastoral Santo Antônio – Caiçara – Canindé
1ª Missa: 23/12/14 às 18h30 na Paróquia N. Sra da Glória (Cidade dos Funcionários).
 Diác. Cledison Reis Lima, CCSh
Paróquia de origem: São José Operário de Castelo Branco.
Diaconato: Discipulado de Pacajus
1ª Missa: 25/12/14 às 18h no Shalom da Paz
 Diác. Célio Lourenço da Silva, CCSh
Paróquia de origem: São Miguel – Quixeramobim
Diaconato: Centro Católico de Evangelização Shalom – Bairro de Fátima
1ª Missa: 27/12/14 às 19h no Shalom da Paz
Diác. D. Gabriel Alves do Amaral, OSB
Paróquia de origem: São João Batista – São João do Aruaru
Diaconato: Paróquia São João Batista – Acarape
1ª Missa:28/12/14 às 10h no Mosteiro de São Bento (Paupina)
Diác. Francisco Aderlane Freitas Carneiro
Paróquia de origem: São Francisco das Chagas – Canindé
Diaconato: Paróquia Bom Jesus dos Navegantes – Parajuru – Beberibe
1ª Missa: 29/12/14 às 18h na capela São João Batista (Bonitinho – Canindé)
 Diác. Francisco Marciano de Sousa
Paróquia de origem: São Francisco de Assis – Palmácia
Diaconato: Paróquia Nossa Senhora da Penha – Sucatinga
1ª Missa: 27/12/14 às 9h na Igreja São José (Gado dos Ferros – Palmácia)
Diác. José Aroldo Martins Santos, NJ
Paróquia de origem: Sant’Ana – Paramoti
Diaconato: Paróquia Nossa Senhora da Imaculada Conceição – Morada Nova – Teresina-Pi
1ª Missa: 23/12/14 às 19h na Igreja Cristo Redentor (Cristo Redentor)
Diác. José Lauro Costa Aderaldo, NJ
Paróquia de origem: Nossa Senhora Imaculada Conceição – João XXIII –
Diaconato: Paróquia Nossa Senhora da Imaculada Conceição – Teresina – PI
1ª Missa: 28/12/14 às 18h na Igreja N. Sra da Imaculada Conceição (João XXIII)
Diác. Livandro Nonato Dias Coelho Delfim Monteiro, CCSh
Paróquia de origem: São Gonçalo do Retiro – Salvador-BA
Diaconato: Diaconia Shalom
1ª Missa: 26/12/14 às 19h no Shalom da Paz
Diác. Rômulo Bezerra de Castro, CCSh
Paróquia de origem: São Pedro – Barra do Ceará.
Diaconato: Discipulado de Quixadá
1ª Missa: 28/12/14 às 18h no Shalom da Paz
Diác. Vicente Gomes de Oliveira
Paróquia de origem: Nossa Senhora dos Prazeres – Caucaia
Diaconato: Paróquia São Francisco das Chagas – Jereissati II – Pacatuba
1ª Missa: 26/12/14 às 19h na Paróquia N. Sra dos Prazeres (Caucaia)
Fonte: Arquidiocese de Fortaleza

10 de dez de 2014

NOTA DE PESAR PELO FALECIMENTO DO SEMINARISTA THIAGO HANDREY

Fortaleza, 10 de dezembro de 2014

A Pastoral Vocacional da Arquidiocese de Fortaleza manifesta o seu pesar pelo falecimento do seminarista Thiago Handrey. O falecimento ocorreu na tarde de ontem, 09 de dezembro de 2014, devido a afogamento.
Thiago estava em lazer, tomando banho no mar de Jericoaquara, quando de repente foi arrastado pelo mar. Pescadores e moradores locais ajudaram nas buscas imediatas ao acontecimento, mas seu corpo só foi encontrado hoje pela manhã, 10 de dezembro, na Praia de Camocim.
Thiago Handrey foi seminarista da Arquidiocese de Fortaleza, tinha terminado os estudos de Teologia e esperava ser enviado pelo Arcebispo para o estágio pastoral em preparação para o Diaconato, que provavelmente aconteceria no meio do próximo ano, e o Presbiterado no final de 2015.
Rogamos a Deus que este nosso irmão na fé seja no Céu, junto de Nosso Senhor Jesus Cristo um intercessor por novas, santas e numerosas vocações sacerdotais.
Nesse momento de muita dor, as nossas preces aos familiares, a Dom José Antonio, Arcebispo de Fortaleza, aos seminaristas, especialmente da sua Turma de Ano. Agradeçamos a Deus, o dom da vida deste nosso irmão na f e caminhemos na esperança da vida que o Crucificado-Ressuscitado nos acompanha.

Pe. Rafhael Silva Maciel
Reitor do Seminário Propedêutico 
Coord. Arquidiocesano da Pastoral Vocacional


4 de dez de 2014

Ação de graças: 40 anos de ordenação presbiteral de dom José Antonio e 25 anos de ordenação presbiteral de dom Vasconcelos





















A celebração acontecerá na segunda-feira, 8 de dezembro, às 10h, na Capela da Faculdade Católica de Fortaleza, seguida de um almoço para o clero da Arquidiocese de Fortaleza.
O clero da Arquidiocese de Fortaleza quer expressar gratidão aos arcebispo de Fortaleza, dom José Antonio, e ao bispo auxiliar, dom Vasconcelos.
“Queremos unir-nos em Ação de Graças ao Senhor pelo visível testemunho do dom de si e da própria vida, de serviço cheio de humildade e de entendimento que marcam a missão, a vida sacerdotal e da dedicação destes irmãos ao rebanho que lhe foi confiado”, disse padre José Sávio na carta convite.
Fonte: Arquidiocese de Fortaleza

3 de dez de 2014

Papa Francisco envia mensagem para o Ano da Vida Consagrada

Por ocasião da abertura do Ano da Vida Consagrada, no domingo, 30 de novembro, o papa Francisco enviou mensagem na qual faz um chamado para que os consagrados “despertem o mundo!”.  Inspirados na Exortação Vita Consecrata de São João Paulo II, o texto do papa apresenta alguns objetivos, expectativas e os horizontes do Ano da Vida Consagrada, que prosseguirá até 2 de fevereiro de 2016.
O prefeito da Congregação dos Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica, cardeal João Braz de Aviz, em entrevista à Rádio Vaticano, apontou três objetivos principais  que o papa Francisco indica aos consagrados para a realização da própria vocação: “olhar para o passado com gratidão”, para manter viva a própria identidade, sem fechar os olhos diante das incoerências, resultado das fraquezas humanas;   “viver o presente com paixão”, vivendo o Evangelho a fundo e com espírito de comunhão; “abraçar o futuro com esperança”, sem perder a coragem diante das inúmeras dificuldades que se encontrarão ao longo da vida consagrada, a partir da crise das vocações.
Aos jovens consagrados
O papa também alertou aos mais jovens para que não caiam na “tentação dos números e da eficiência, tampouco àquela de confiar exclusivamente nas suas próprias forças. A caridade não conhece limites e precisa de entusiasmo para levar adiante o sopro do Evangelho nos mais diversos ambientes sociais e culturais”.
Disse, ainda, que é necessário que os consagrados saibam transmitir a alegria e a felicidade da fé vivida em comunidade, por meio do testemunho do amor fraterno, da solidariedade, da partilha que dá valor à Igreja. “Uma Igreja que deve forjar profetas visionários e capazes de interpretar os acontecimentos, denunciando o mal do pecado e da injustiça”.
Francisco não tem expectativas de que os consagrados mantenham vivas certas “utopias”, mas que saibam criar “outros lugares”, onde se viva a lógica evangélica do dom, da fraternidade, da diversidade e do amor recíproco. O lugar ideal para que isso aconteça são as comunidades dos Institutos aos quais se pertence e que não deve ser uma realidade isolada. Ao contrário, o papa expressa seu desejo de que este Ano da Vida Consagrada seja a ocasião para que se estreitem os laços de colaboração entre as diversas comunidades, “no acolhimento de refugiados, na proximidade aos pobres, no anúncio do Evangelho, na iniciação à vida de oração”.
Na carta aos consagrados e às consagradas, Francisco ressalta o papel dos leigos, “que, com os consagrados, partilham ideais, espírito e missão”. O papa pede aos bispos que sejam solícitos no promover nas respectivas comunidades “os carismas distintos, apoiando, animando e ajudando no discernimento para que a beleza e a santidade da vida consagrada resplandeçam na Igreja”.
Fonte: CNBB

Papa expressa gratidão às pessoas de vida consagrada

Por motivo de sua visita apostólica à Turquia, o papa Francisco enviou uma vídeo-mensagem aos participantes da Vigília de Oração realizada na Basílica Santa Maria Maior, em Roma, no sábado, 29, véspera da abertura do Ano da Vida Consagrada.  Inspirado na Exortação Vita Consecrata de São João Paulo II, o texto do papa apresenta alguns objetivos, expectativas e os horizontes do Ano da Vida Consagrada, que ocorre de 30 de dezembro a 2 de fevereiro de 2016.
Leia a íntegra da mensagem:
“Queridos irmãos e irmãs,
Mesmo se distante fisicamente por motivo do meu serviço à Igreja universal, me sinto intimamente unido a todos os consagrados e às consagradas no início deste ano que quis fosse dedicado à vida consagrada.
Saúdo com afeto todos os membros da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica e todos aqueles que estão presentes na Basílica Santa Maria Maior, sob o terno olhar da Bem-aventurada Virgem Maria Salus Populi Romani, para esta Vigília de Oração.
Com vocês saúdo também todos os consagrados e as consagradas que vivem e trabalham no mundo. Nesta ocasião as minhas primeiras palavras são de gratidão ao Senhor pelo dom precioso da vida consagrada à Igreja e ao mundo. Que este ano da Vida Consagrada seja uma ocasião para que todos os membros do povo de Deus agradeçam o Senhor, do qual provém todo bem, pelo dom da vida consagrada, valorizando-a de maneira conveniente. A vós, queridos irmãos e irmãs consagrados, vai igualmente a minha gratidão por aquilo que sois e fazem na Igreja e no mundo. Que este seja um “tempo forte” para celebrar com toda a Igreja o dom da vossa vocação e para reavivar a vossa missão profética.
Repito-vos também hoje o que vos disse outras vezes: « “Despertai o mundo” Despertai o mundo” ». Como? Colocando Cristo no centro de vossa existência. Sendo norma fundamental de vossa vida «seguir Cristo como é ensinado no Evangelho» (Perfectae caritatis, 2), a vida consagrada consiste essencialmente na adesão pessoal a Ele. Busquem, queridos consagrados, Cristo constantemente, busquem a sua Face, que Ele ocupe o centro de vossa vida de modo a serem transformadas em «memória viva do modo de existir e de agir de Jesus, como Verbo Encarnado diante do Pai e diante dos irmãos » (Vida consagrada, 22). Como o apóstolo Paulo, deixai-vos conquistar por Ele, assumam os seus sentimentos e a sua forma de vida (cfr ibid., 18); deixai-vos tocar pela sua mão, conduzir pela sua voz, apoiar pela sua graça (cfr ibid., 40).
E com Cristo, partam sempre do Evangelho. Assumam-no como forma de vida e traduzam-no em gestos cotidianos marcados pela simplicidade e pela coerência, superando assim a tentação de transformá-lo em uma ideologia. O Evangelho conservará jovem a vossa vida e missão, e as tornará atuais e atraentes. Que o Evangelho seja o terreno sólido onde avançar com coragem. Chamados a ser «exegeses vivas» do Evangelho, seja este, queridos consagrados, o fundamento e a referência última de vossa vida e missão. Saiam de vossos aconchegos em direção às periferias do homem e da mulher de hoje! Por isto, deixai-vos encontrar por Cristo. O encontro com Ele vos impelirá ao encontro com os outros e vos levará em direção aos mais necessitados, aos mais pobres. Ides às periferias que aguardam a luz do Evangelho (cfr Evangelii gaudium, 20). Habitem as fronteiras. Isto vos exigirá vigilância para descobrir as novidades do Espírito; lucidez para reconhecer a complexidade das novas fronteiras; discernimento para identificar os limites e a maneira adequada de proceder; e imersão na realidade, “tocando a carne sofredora de Cristo no povo” (ibid.,24).
Queridos irmãos e irmãs: diante de vós se apresentam muitos desafios, mas eles existem para serem superados. “Sejamos realistas, mas sem perder a alegria, a audácia e a dedicação plena de esperança! Não deixemos que nos roubem a força missionária” (ibid., 109).
Que Maria, mulher em contemplação do mistério de Deus no mundo e na história, mãe diligente em ajudar com prontidão os outros (cfr Lc 1, 39) e por isto modelo de todo discípulo missionário, nos acompanhe neste Ano da Vida Consagrada que colocamos sob seu olhar materno.
A todos vocês participantes da Vigília de Oração na Santa Maria Maior e a todos os consagrados e as consagradas, concedo de coração a minha Bênção e vos peço, por favor, para rezarem por mim.
Que o Senhor vos abençoe e Nossa Senhora vos guarde”.
Fonte: CNBB

24 de nov de 2014

Oito anos de vida sacerdotal, parabéns Padre Rafhael






























Hoje, dia 24 de novembro de 2014 celebramos 8 anos de vida sacerdotal do Pe. Rafhael Maciel. É uma alegria escrever esse texto, em nome da Pastoral Vocacional de Fortaleza; parabenizando esse grande sacerdote de Deus pelo seu sim ofertado, pelo seu serviço a Igreja de Cristo e às vocações na Arquidiocese de Fortaleza. 

Já dizia São João Maria Batista Vianney: "O Padre só será bem compreendido no céu, se compreendêssemos quem é o padre aqui na terra, morreríamos, não de susto... mas de amor." Os nossos olhos consegue ver tão pouco o que é o padre, o padre vai além do nosso olhar humano. 

O Pe. Rafhael é reitor do Seminário Propedêutico da Arquidiocese de Fortaleza, e quão grande é o seu testemunho cristão e de sacerdote para nós seminaristas; sabemos que temos um pastor fiel ao ofício de Cristo, que é cuidar, pastorear as ovelhas do Senhor. 

Desde o ventre de tua mãe, o Senhor já ti conhecia; antes que tu nascesse, o Senhor já tinha te escolhido. Deus fez revelar o Seu conhecimento a ti, és sacerdote de Deus para sempre. 

Pe. Rafhael, essas são as palavras do seminaristas do propedêutico e de todos aqueles que já passaram por suas mãos, seus conselhos, por seu pastoreio e aqueles que ainda virão. A Pastoral Vocacional de Fortaleza agradece pelo seu desempenho e amor pelas vocações, em especial as vocações sacerdotais. Parabéns Padre, e que a Virgem de Nazaré, Mãe de Nosso Senhor Jesus Cristo esteja sempre ao vosso lado, guiando-vos para céu e fazendo de ti ponte que leva cada vez mais, almas para o céu. Ah, não se esqueça do paraíso, o coração do padre deve ser "ambicioso", mas, pelo céu, a morada Eterna onde todos nós devemos morar. 

22 de nov de 2014

Dom Severino Clasen divulga mensagem para o Dia Nacional dos Leigos

A Igreja comemora neste domingo, 23 de novembro, na solenidade de Cristo Rei, o Dia Nacional dos Cristãos Leigos e Leigas. A data encerra o ciclo do ano litúrgico e convida a comunidade a refletir, antes de dar início ao Advento, tempo de preparação ao Natal, sobre homens e mulheres que formam essa grande parcela da comunidade católica.

Segundo o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Severino Clasen, os leigos são protagonistas da Igreja e convidados a promover os valores do Evangelho. “Na família, no trabalho, na escola, na política, no esporte, na Igreja, somos desafiados a viver os sentimentos de Jesus Cristo”, afirma dom Severino em mensagem por ocasião da data celebrativa.

O bispo também reforça a importância dos trabalhos desenvolvidos pelos leigos. “Alegramo-nos com os milhões de cristãos leigos e leigas que, como sujeitos eclesiais, atuam na Igreja como catequistas, animadores de comunidades, ministros extraordinários da Eucaristia, na pastoral da Juventude, nos Conselhos de Pastorais, Pastoral da Criança, Pastoral da Pessoa Idosa, e tantas outras iniciativas”, expressou.

O vice-presidente do Conselho Nacional do Laicato do Brasil, Laudelino Augusto Azevedo, divulgou uma mensagem em vídeo. Ele manifesta "louvor a Deus pelos milhões de cristãos leigos e leigas que em nosso país dão o testemunho de fé e ação, tanto na Igreja como nas realidades do mundo". Assista clicando aqui.

Confira, na íntegra, a mensagem do presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato, dom Severino Clasen, por ocasião da data.

Festa de Cristo Rei, dia dos cristãos leigos e leigas

Na festa de Cristo Rei, comemoramos o dia dos cristãos leigos e leigas. Iniciamos parabenizando a todos os batizados em nome da Trindade. Pela graça do Batismo fomos incorporados no ressuscitado e com ele aceitamos o convite de sermos “sacerdotes, profetas e reis”.

A Comissão Episcopal de Pastoral para o Laicato da CNBB quer externar a alegria por contar com tantos milhões de cristãos leigos e leigas que se engajam nos trabalhos pastorais, vivem seu carisma específico numa comunidade, ou associação de fieis, ou institutos seculares, ou movimentos ou em tantas outras formas expressões laicais que enriquecem a Igreja como sinal do Reino de Deus.

Jesus Cristo é proclamado Rei do Universo. Por isso, por sermos filhos desse Reino, devemos ajudar e promulgar o mesmo inaugurado por Jesus Cristo. “Buscai em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão dadas por acréscimo” (Mt 6,33).

Nosso modo de viver e testemunhar a fé cristã, o nosso jeito de ser na Igreja e na sociedade deve contribuir para que esse Reino cresça para o bem de toda a humanidade. Na família, no trabalho, na escola, na política, no esporte, na Igreja somos desafiados a viver os sentimentos de Jesus Cristo. O mestre mesmo nos diz: “Completou-se o tempo, e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede na Boa Nova” (Mc 1,15).

Não podemos ficar protelando na vida os sinais do bem, da justiça, da paz e da alegria. Toda tristeza e toda mágoa que alimentamos nos distanciam do Reino de Deus, portanto, o cristão está em contínua vigilância e atento, de rosto livre e limpo tendo atitudes corretas e de respeito onde vive no dia a dia. “Em verdade vos digo: quem não receber o Reino de Deus como uma criança, não entrará nele!” (Mc 10,15).

Na alegria e na tristeza os batizados agem com sentimentos de estima, de responsabilidade, de compaixão e de misericórdia. Os cristãos leigos e leigas não vivem isolados; fechados em si mesmos, muitos recebem o mandato pela inspiração do Mestre e, iluminados pelo Espírito Santo, decidem agir em outros lugares na busca de fazer o bem. “Mas Ele disse-lhes: “Eu devo anunciar a Boa Nova do Reino de Deus também a outras cidades, pois é para isso que fui enviado” (Lc 4,43).

Alegramo-nos com os milhões de cristãos leigos e leigas que, como sujeitos eclesiais, atuam na Igreja como catequistas, animadores de comunidades, ministros extraordinários da Eucaristia, na pastoral da Juventude, nos Conselhos de Pastorais, Pastoral da Criança, Pastoral da Pessoa Idosa, e tantas outras iniciativas. Agradecemos, também, a tantos que atuam nos diferentes campos da sociedade e são pessoas boas que pelo jeito de ser, atraem o bem e são instrumentos de paz e harmonia na sociedade. São pessoas que divulgam com a vida e testemunho a gratuidade do Reino de Deus.

Que em cada Diocese do Brasil os leigos se organizem, vejam quais as ações viáveis para fortalecer os batizados na vida prática e contar cada vez mais com um laicato maduro que ampliará com certeza o Reino de Deus entre nós. Fortalecer os Conselhos Diocesanos de Leigos onde existem, e criar onde ainda não existem, para enriquecer a dignidade dos leigos e leigas em todo o Brasil. Os Conselhos vão além das organizações, das  Pastorais, são a expressão da organização e articulação dos leigos e leigas e da força da sua identidade e dignidade de cristãos batizados, implantando o Reino de Deus entre nós.

Homenageando a todos os cristãos leigos e leigas, queremos afirmar o compromisso de fomentar o desejo de promover a paz, missão de cada ser humano juntamente com os bispos, padres e religiosos e religiosas, diáconos. Assimteremos um mundo sonhado por Deus e nunca mais se ouvirá notícias de mortes violentas, corrupções, desajustes familiares, vícios que machucam famílias e toda a sociedade.

Parabéns por vocês serem pessoas comprometidas com o Reino de Deus.

O Senhor da Vida os abençoe.

Dom Frei Severino Clasen, OFM
Bispo Diocesano de Caçador, SC
Presidente da Comissão Episcopal de Pastoral para o Laicato

Fonte: CNLB

20 de nov de 2014

[Editorial – novembro 2014] “LEVADOS PELA CARIDADE DE CRISTO.” (2Cor 5,14)

Após vivermos o ANO DA FÉ, instituído pelo Papa Bento XVI no ano 2013 e depois o ANO DA ESPERANÇA em 2014, na preparação para o JUBILEU DE 100 ANOS DA ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA, estamos vivendo o ANO DA CARIDADE desde o dia 14 deste mês até o dia 14 de novembro de 2015, quando celebraremos a Ação de Graças do Ano Centenário.
São elas – as virtudes da FÉ, da ESPERANÇA e da CARIDADE – chamadas “virtudes teologais”, forças da graça divina que é dada por Deus aos que, crendo em Cristo são renascidos pelo banho batismal. Virtudes, pois são forças constitutivas da ação de Deus nas pessoas, teologais por sua origem e modo de ser divinos: atuação da própria vida divina concedida às pessoas humanas.
Assim encontramos no Catecismo da Igreja Católica, resumo condensado das doutrinas da Fé Católica: “1812.As virtudes humanas se fundam nas virtudes teologais que adaptam as faculdades do homem para que possa participar da natureza divina. Pois as virtudes teologais se referem diretamente a Deus. Dispõem os cristãos a viver em relação com a Santíssima Trindade e têm a Deus Uno e Trino por origem, motivo e objeto. 1813.As virtudes teologais fundamentam, animam e caracterizam o agir moral do cristão. Informam e vivificam todas as virtudes morais. São infundidas por Deus na alma dos fiéis para torná-los capazes de agir como seus filhos e merecer a vida eterna. São o penhor da presença e da ação do Espírito Santo nas faculdades do ser humano. Há três virtudes teologais: a fé, a esperança e a caridade.”
Para aprofundarmos nosso conhecimento e vivência da vida em Cristo, a vida cristã, o Santo Padre Emérito, Bento XVI, deu à Igreja três grandes Cartas sobre cada uma das virtudes teologais: “Deus Caritas est – Deus é Caridade” – sobre a virtude da Caridade; “Spe Salvi – Salvos pela Esperança” – sobre a virtude da Esperança; e a terceira grande Carta ele a fez juntamente com o Papa Francisco, dando à Igreja um documento fruto de seus estudos e da comunhão dos pastores: “Lumen Fidei – A luz da Fé” – sobre a virtude da Fé.
Com estes ensinamentos fundamentais o Pastor maior da Igreja Católica, em seu ministério de confirmar os irmãos na fé cristã, apascentando o rebanho de Cristo em todo o mundo, quis propor a todos uma renovação fundamental da vida no encontro com Cristo e seu seguimento, bem como na missão que do Senhor todos os discípulos recebem.
“Pela fé, o homem livremente se entrega todo a Deus. Por isso o fiel procura conhecer e fazer a vontade de Deus. “O justo viverá da fé” (Rm 1,17). A fé viva “age pela caridade” (Gl 5,6).(CIC 1814).
“A virtude da esperança responde à aspiração de felicidade colocada por Deus no coração de todo homem; assume as esperanças que inspiram as atividades dos homens; purifica-as, para ordená-las ao Reino dos Céus; protege contra o desânimo; dá alento em todo esmorecimento; dilata o coração na expectativa da bem-aventurança eterna. O impulso da esperança preserva do egoísmo e conduz à felicidade da caridade.(CIC 1818).
“O exercício de todas as virtudes é animado e inspirado pela caridade, que é o “vinculo da perfeição” (Cl 3,14); é a forma das virtudes, articulando-as e ordenando-as entre si. A caridade assegura e purifica nossa capacidade humana de amar, elevando-a à perfeição sobrenatural do amor divino.”(CIC 1827).
O ANO DA CARIDADE nos leva a tomar consciência mais profunda de que somos “LEVADOS PELA CARIDADE DE CRISTO.” (2Cor 5,14)
A Igreja em sua comunhão na Caridade é manifestação do amor divino trinitário. “Se vês a caridade, vês a Trindade” — escrevia Santo Agostinho… (Assim se manifesta) o desígnio do Pai que, movido pelo amor (cf. Jo 3, 16), enviou o Filho unigênito ao mundo para redimir o homem. A Igreja em seu mais verdadeiro ser é a própria humanidade em Caridade – a Caridade em ação.
Um ANO DA CARIDADE nas comemorações do Jubileu Centenário da Arquidiocese de Fortaleza quer reavivar a realidade dos laços que unem todas as dimensões da Igreja: comunhão e missão – nas expressões concretas do “Amor de Deus que foi derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado” (Rm 5,5). Assim a comunidade eclesial se manifesta como verdadeira Família de Deus em Cristo, como rezou o próprio Jesus: “Pai, eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos na unidade, a fim de que o mundo conheça que tu me enviaste, e que os amaste como amaste a mim.” (Jo 17, 23)
Damos graças pelos dons do Espírito no testemunho dos fiéis e das comunidades em sua vida e missão: santidade que é caridade em muitas formas de obras de misericórdia.
É também necessária a penitência pelas não correspondências ao Amor de Deus: faltas, incoerências, contratestemunhos, pecados na caminhada centenária e pelos quais pedimos o perdão e a misericórdia renovadora do Senhor. Sem o Amor nada somos.
São novos os tempos em que vivemos, são grandes desafios que nos atingem, mas se tornam para os discípulos-missionários de Cristo, oportunidades de testemunhar e anunciar como maior dom a “alegria do Evangelho” dado a todos, com maior coerência, zelo e ardor. “Firmes na Fé, alegres na Esperança e solícitos na Caridade” para “Boa Nova em novos tempos”.

+ José Antonio Aparecido Tosi Marques
Arcebispo Metropolitano de Fortaleza
Fonte: Arquidiocese de Fortaleza

13 de nov de 2014

[CARTA CIRCULAR] Ano da Vida Religiosa – Jubileu Centenário da Arquidiocese de Fortaleza



















No próximo dia 22 de novembro, sábado, com início às 9 horas, acontecerá uma Celebração Eucarística na Catedral Metropolitana de Fortaleza, em comemoração ao Ano da Vida Religiosa – Jubileu Centenário da Arquidiocese de Fortaleza. O arcebispo metropolitano de Fortaleza enviou no último dia 3 de novembro uma Carta Circular sobre a comemoração.
Informações na CRB [85] 3253.2170
Fonte: Arquidiocese de Fortaleza 

[CARTA CIRCULAR] Jubileu dos Cristãos Leigos e Leigas no Centenário da Arquidiocese de Fortaleza – no Ano da Caridade


Leia aqui a Carta Circular do arcebispo de Fortaleza, dom José Antonio, sobre o Jubileu dos Cristãos Leigos e Leigas no Centenário da Arquidiocese de Fortaleza – no Ano da Caridade. A celebração acontecerá no dia 23 de novembro de 2014 (Domingo do Cristo Rei),  às 16 horas na Catedral Metropolitana.

Veja aqui a programação completa das comemorações do centenário da Arquidiocese de Fortaleza.

Fonte: Arquidiocese de Fortaleza

11 de nov de 2014

Papa destaca três pontos fundamentais para todo seminarista

Em mensagem enviada aos seminaristas, Papa Francisco esclarece três pontos sobre os quais todo futuro padre deve refletir para colocá-los em prática

Da redação, com news.va


O sacerdócio não é um ministério a ser vivido solitário e tampouco de modo individualista, afirmou o Papa Francisco em mensagem ao seminaristas franceses, que iniciaram, no sábado, 8, uma peregrinação a Lourdes.

Na mensagem divulgada, nesta segunda-feira, 10, pela Sala de Imprensa da Santa Sé, o Santo Padre esclarece os três pontos fundamentais sobre os quais todo futuro presbítero deve refletir para poder traduzi-los na prática.

O primeiro diz respeito à “fraternidade”. A fraternidade dos discípulos “expressa a unidade dos corações, é parte integrante do chamado que vocês receberam”, afirma o Papa, que acrescenta logo em seguida: “O ministério sacerdotal não pode, de modo algum, ser individual e tampouco individualista”.

No seminário, escreve o Pontífice, “vocês vivem juntos para aprender a se conhecerem, a estimar-se, a ajudar-se, por vezes também suportar-se”, por isso – frisa –, “convido-os a aceitar este aprendizado da fraternidade com todo o ardor de vocês”.

Segundo ponto: a “oração”. A imagem evocada é a do Cenáculo, onde os discípulos rezam com Maria à espera do Espírito Santo. Disso, se deduz que na base da formação de vocês, ressalta o Papa Francisco, “está a Palavra de Deus, que chega ao íntimo de vocês, os alimenta e ilumina”.

Portanto, aconselha o Papa aos seminaristas, tenham “todos os dias longas horas de oração” e “deixem que a oração de vocês seja um convite ao Espírito”, do qual depende a construção da Igreja, o guia dos discípulos e o dom da “caridade pastoral”. Desse modo, assegura o Pontífice, indo àqueles aos quais são convidados, poderão ser aqueles “homens de Deus” que o povo quer que os sacerdotes sejam.

Por fim, o terceiro ponto, a “missão”. Os anos de seminário, indica o Papa Francisco, não são senão uma preparação com o “único objetivo” de tornar-se discípulos “humildes” capazes de “preferência pelas pessoas mais marginalizadas”, aquelas das “periferias”.

“A missão é inseparável da oração, porque esta abre ao Espírito e o Espírito os guiará na missão. E a missão – escreve ainda o Papa –, cuja alma é o amor, é a de levar aqueles que encontrarão a acolher a ternura” de Cristo, mediante os Sacramentos.

Confira o vídeo-resumo do último dia dessa peregrinação, disponibilizado pelo Santuário de Lourdes

1 de nov de 2014

Em novembro, Papa reza pelas pessoas que vivem em solidão
























O Pontífice reza para que as pessoas que sofrem a solidão sintam a proximidade de Deus e o apoio dos irmãos
Da redação
As pessoas que vivem em solidão estão nas intenções de oração do Papa Francisco para o mês de novembro. O Pontífice reza para que as pessoas que sofrem a solidão sintam a proximidade de Deus e o apoio dos irmãos.
Na evangelização, o Santo Padre pede pelo formadores do clero e dos religiosos, afim de que, os seminaristas, os religiosos e as religiosas jovens tenham formadores sábios e bem preparados.
Fonte: Papa Canção Nova

31 de out de 2014

NOTA DE PESAR PELO FALECIMENTO DO PE. RAIMUNDO LEANDRO DE ARAÚJO

A Pastoral Vocacional da Arquidiocese manifesta o seu pesar pelo falecimento do amigo e irmão presbítero Pe. Raimundo Leandro de Araújo. O falecimento ocorreu na noite de ontem, 30 de outubro de 2014, devido a um infarto cardíaco.
Pe. Leandro exerceu o Ministério Presbiteral em nossa Arquidiocese de Fortaleza, passando por diversas Paróquias, como Pároco, tais como Paróquia São Miguel Arcanjo (Itapebuçu – Maranguape), Paróquia São Francisco de Assis (Palmácia), Paróquia N. Sra. da Conceição (Pacatuba), Paróquia N. Sra. da Penha (Maranguape) e atualmente a Paróquia São José (Lagoa Redonda – Fortaleza).
Pe. Leandro, no que toca à questão vocacional sempre se mostrou próximo dos vocacionados e seminaristas, ouvindo-os atentamente e empolgando-os com seu jeito espontâneo e contagiante no contato mais direto. Foi, sem dúvidas, um dos Padres mais fecundos em número de vocacionados aos sacerdócio que enviou para os Seminários Diocesanos e Religiosos.
Rogamos a Deus que este nosso irmão na fé e no ministério presbiteral seja no Céu, junto de Nosso Senhor Jesus Cristo um intercessor por novas, santas e numerosas vocações sacerdotais e religiosas.
As nossas preces aos familiares, a Dom José Antonio, Arcebispo de Fortaleza, e a todo povo, especialmente da Lagoa Redonda e Pacatuba, que acompanhou a vida de nosso irmão, Pe. Leandro Araújo. Agradeçamos a Deus, o dom da vida deste nosso amado irmão no presbitério e caminhemos na esperança da vida que o Crucificado-Ressuscitado nos acompanha.


Pe. Rafhael Silva Maciel
Reitor do Seminário Propedêutico 
Coord. Arquidiocesano da Pastoral Vocacional

24 de out de 2014

Irmã destaca exemplo de Madre Assunta, dedicada aos migrantes

Madre será beatificada neste sábado em São Paulo. Superiora das Scalabrinianas a apresenta como modelo de vivência do perdão, serviço e caridade

Luciane Marins, com colaboração de Jéssica Marçal
Da Redação


Neste sábado, 25, a Igreja terá uma nova beata: Madre Assunta Marchetti, cofundadora da Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeo, as Scalabrinianas. Para conhecer a vida e a obra desta religiosa italiana que viveu no Brasil por mais de 50 anos, o Canção Nova em Foco conversa com irmã Neusa de Fátima Mariano, superiora geral da Congregação.

cerimônia de beatificação será na Catedral da Sé em São Paulo, neste sábado, às 10h. “Estamos com o coração em festa. O anúncio da beatificação foi feito ano passado. Desde então, já estamos em preparação. É uma preparação espiritual, na oração, reflexão, caminho de formação para celebrarmos intensamente esse grande evento”, conta irmã Neusa.

Madre Assunta chegou ao Brasil com 24 anos de idade e nunca mais voltou à sua terra natal, a Itália. Veio do seu país para acompanhar imigrantes italianos. Aqui no Brasil, a madre se dedicou especialmente ao cuidado dos mais necessitados, como os órfãos, pobres, doentes e migrantes.
“No contexto da migração, Madre Assunta desponta como esta grande figura, de uma mulher que doou sua vida na assistência e no acompanhamento aos migrantes, na fidelidade ao carisma do fundador, o beato João Batista Scalabrini.”
O então Bispo de Piacenza, preocupado com as grandes migrações que aconteciam da Europa para as Américas no final do século XIX, fundou duas Congregações para acompanhar os migrantes: a dos Padres Scalabrinianos, em 1887, e a das Irmãs Missionárias Scalabrinianas, em 1895. Madre Assunta estava entre as quatro primeiras irmãs da Congregação que vieram para o Brasil.
A primeira casa onde Madre Assunta começou esse trabalho pioneiro em São Paulo está ativa ainda hoje. O abrigo, fundado por ela e seu irmão, padre José Marchetti, em em1904, fica na Rua do Orfanato, Vila Prudente. “Foi um trabalho que ela deixa como marco. Temos essa casa que continua atendendo e dando assistência hoje. Sabemos o quanto São Paulo é uma grande cidade com uma realidade muito forte dos menores não acompanhados.”
Cerimônia de Beatificação

O rito de beatificação de Madre Assunta será presidido pelo Prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, Cardeal Angelo Amato. A Missa será presidida pelo arcebispo de São Paulo, Cardeal Odilo Pedro Scherer.
Irmã Neusa explica que é muito significativo que a cerimônia seja em São Paulo. “Para nós é importante porque foi o ponto aonde chegou o primeiro grupo, o grupo pioneiro, aqui no Ipiranga. E aqui em São Paulo se desenvolveu todo trabalho da madre, foi onde ela viveu e morreu.”
A família do senhor Heráclides Teixeira Filho, que recebeu o milagre que levou Madre Assunta à beatificação, estará na cerimônia. “Eles terão participação efetiva dentro da celebração. Para nós é uma grande alegria,” comemora irmã Neusa.
Modelo de vida
Entre inúmeras virtudes de Madre Assunta, irmã Neusa destaca a fé inabalável. “Ela sempre dizia uma expressão em italiano: Deus vê e Deus provê! Era uma mulher de uma confiança inabalável em Deus.”
“Ela é um modelo para nós hoje, que estamos sendo tantas vezes exortados pelo Papa Francisco a viver a dimensão do perdão, da caridade, do serviço, de ser uma Igreja que vai ao encontro do outro. Modelo de missionariedade”.



Fique ligado - Jubileu 16