Site da Arquidiocese de Fortaleza

Acesse o site de nossa arquidiocese e fique bem informado.

Palavra do Pastor

Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, Arcebispo Metropolitano de Fortaleza

21 de fev de 2015

Parabéns Padre Rafhael, obrigado pelo seu sim!

A Pastoral Vocacional de Fortaleza celebra hoje com muita alegria, o dom da vida deste grande pai espiritual e amigo, Pe. Rafhael Maciel. 

"O padre é um homem que se crucificou, para que assim elevado ele atraia tudo para Cristo." Catarina Doherty 

Pe. Rafhael é reitor do Seminário Propedêutico da Arquidiocese de Fortaleza e coordenador da Pastoral Vocacional, vemos o seu ardor vocacional diante dos jovens que buscam o sacerdócio; podemos dizer que ele se sacrifica com alegria para que estes jovens encontrem a sua vocação e a Igreja de Fortaleza possa ter sempre mais vocações sacerdotais. Bendito seja Deus, por este sacerdote fiel. 

Um homem com um jeito extrovertido, alegre, brincalhão, simpático que cativa a juventude e as pessoas que o conhece. Um sacerdote que ama a Igreja de Cristo, que busca sempre ser fiel a ela e expressa isso na vida através de palavras e também de atos. Podemos ver que o seu sim é fecundo, pelas turmas que já passaram pelo seu pastoreio, e ainda passarão. 

Padre Rafhael, o nosso coração se enche de alegria e de carinho por festejarmos o dom de sua vida; obrigado pelo seu sim livre e diário. Que a Virgem Maria, Mãe dos Sacerdotes possa guia-lo sempre à fecundar nesta terra e no coração dos homens o Amor de Deus. 

Por Pastoral Vocacional de Fortaleza

Queremos Deus: Amor, fé e caridade


No próximo dia 22 de Fevereiro terá inicio em Fortaleza a partir das 13:30 horas no Estádio Presidente Vargas (PV), localizado no bairro Benfica mais uma edição do Queremos Deus. Um encontro que celebra a fé em Deus por meio de pregações, música e amor ao próximo.
Em 2015 o evento chega a sua 26º edição e traz o tema: “Levados pela caridade de Cristo” (II Cor 5,14), isso porque após vivermos o Ano da Fé, instituído pelo Papa Bento XVI no ano 2013 e depois o Ano da Esperança em 2014, estamos vivendo o Ano da Caridade nas comemorações do Jubileu de 100 Anos da Arquidiocese de Fortaleza, quando celebraremos a Ação de Graças do Ano Centenário.
O evento contará com uma segurança pública e privada e também contará com cerca de 50 agentes de trânsito. A partir de 7 horas do dia do evento, será proibido o estacionamento nas ruas Paulino Nogueira, Costa e Sousa, e Marechal Deodoro. A partir de meio dia, as vias serão bloqueadas. A recomendação é que as pessoas utilizem o transporte público e táxis. Já as frotas de ônibus serão reforçadas como acontece em dia de jogos no PV.
O evento será organizado pela Família Carismática, que envolve grupos de oração, Renovação Carismática, novas comunidades e diversos outros movimentos da Igreja Católica.
Atrações:
Dentre as atrações deste ano, o “Queremos Deus 2015” terá as presenças de Naldo José, irmã Kelly Patrícia, Padre Antônio Furtado, Missionário Shalom e Comunidade Recado. Terá como pregador oficial Moyses Azevedo, fundador da Comunidade Shalom. Já a missa será celebrada pelo Arcebispo Dom José Antônio.
Ingressos:
Os ingressos estarão à venda nas lojas Bethseth, e custará o valor simbólico de R$ 2,00 mais 1 kg de alimento que será destinado para a Santa Casa de Misericórdia e para outras obras sociais. As entradas também estarão à venda no dia do evento, mas a organização orienta que todos comprem os ingressos antecipados inclusive aqueles que vêm de caravanas tendo em vista que a capacidade do estádio é para 20 mil pessoas.
Assessoria de Imprensa:
Jor. Tarcísio Filho
(85) 8811-7794 ou (85) 9780-3319
Fonte: Arquidiocese de Fortaleza

Papa Francisco: O sacerdote é um ministro não um showman






















VATICANO, 20 Fev. 15 / 09:00 am (ACI/EWTN Noticias).-

Recuperar a fascinação pela beleza é o central do ars celebrandi, da arte de celebrar, afirmou o Papa Francisco na manhã desta quinta-feira no tradicional encontro com o clero romano na Sala Paulo VI que durou cerca de duas horas.

Embora o Vaticano ainda não tenha divulgado a íntegra do diálogo do Santo Padre com os sacerdotes, o jornal Avvenire da Conferência Episcopal Italiana adiantou alguns extratos deste importante encontro.

Diante de centenas de presbíteros, o Santo Padre pediu “recuperar o assombro” tanto de quem celebra como do povo. “Precisa-se entrar em uma atmosfera espontânea, normal, religiosa, mas não artificial, e assim se recupera um pouco o assombro, aquilo que se sente durante o encontro com Deus”, informou Avvenire.

Assim, “quando encontramos o Senhor na oração sentimos este estupor, quando não rezamos formalmente temos o sentimento do encontro, o assombro, aquilo que escutaram os apóstolos quando foram convidados, o estupor atrai e te deixa em contemplação, isso é importante, e contra o estupor vai tudo aquilo que é artificial”.

O Pontífice explicou que “se deve rezar diante de Deus com a comunidade”. Assim, “quando encontramos padres que celebram de maneira sofisticada, artificial, ou com gestos um pouco... ou que abusam um pouco dos gestos, não é fácil que se dê este estupor ou esta capacidade de fazer entrar no mistério”.

“Celebrar é entrar e fazer entrar no mistério, é simples mas é assim, se eu for excessivamente rígido, não faço entrar no mistério... e se for um 'showman', o protagonista da celebração, não faço entrar no mistério, temos assim os dois extremos”.

Também sobre a maneira de celebrar, o Papa indicou que o sacerdote, “com a sua atitude faz com que o Senhor provoque”.

Ao começo, o Cardeal Vigário de Roma, Agostino Valini, realizou uma introdução na qual alertava sobre o “perigo de sentir náuseas da palavra na liturgia” ao serem palavras que se repetem muito.

Sacerdotes casados?

Ao final, houve um tempo para que os sacerdotes fizessem perguntas ao Pontífice. Um deles perguntou sobre a questão dos sacerdotes casados, recordando que as Igrejas Orientais permitem que os homens casados sejam ordenados sacerdotes, diferente das Igrejas de rito latino que não permitem o sacerdócio para aqueles que não são celibatários.

“O problema não ficará no arquivo”, assegurou Francisco referindo-se a que não o deixará de lado nem o esquecerá. Adicionou, além disso, que conhece esta situação e que não existe uma solução fácil.

Por sua parte, o porta-voz da diocese de Roma, Walter Insero, assegurou em declarações ao Grupo ACI que o Santo Padre “falou também sobre a importância que tem para o sacerdote pedir o dom das lágrimas, também se o sacerdote não chora mais, se não tem esta capacidade de estar junto às pessoas, de sofrer, de acompanha-las em seu sofrimento”.

“Sua reflexão partiu daquele documento lido na Plenária da Congregação do Culto em 2006. Nele se fala da importância da pregação, de que o falso profeta na escritura é aquele que diz as suas palavras, enquanto que o verdadeiro profeta fala em nome de Deus”. O Pontífice falou “da importância deste caminho, de dar espaço nas minhas palavras à Palavra de Deus”.

Por outro lado, o Pontífice falou de como “preparar a homilia desde o fato que é um caminho que não se prepara em uma hora no mesmo dia da celebração da Missa, porque tudo isso se deve levar na oração, fazê-lo amadurecer, para que assim não seja somente desde o ponto de vista pessoal, mas desde o que o Espírito Santo diz à pessoa”.

Também falou sobre a importância que teve a permissão que o Papa Bento XVI deu ao rito extraordinário. “Francisco disse que o fez porque é um homem de comunhão, para abrir a porta e fazer-se próximo aos tradicionalistas, mas que a Igreja permanece no rito ordinário, que prevê a participação do povo”, indicou o porta-voz do vicariato de Roma.

Fonte: ACI Digital
Sacerdotes (imagem referencial) / Foto: Flickr José María Moreno García (CC-BY-NC-ND-2.0)

19 de fev de 2015

[CARTA CIRCULAR] 3º Domingo da Quaresma: Caminhada Penitencial


Fortaleza, 12 de fevereiro de 2015.
Circular 001/2015: CAMINHADA PENITENCIAL – Quaresma/CF 2015

Caríssimos Irmãos no Sacerdócio,
Irmãos Religiosos e Religiosas,
Irmãos fiéis leigos e leigas

Graça e Paz do Senhor!

A Quaresma é tempo de conversão, arrependimento, mudança de vida, busca do novo que a graça misericordiosa de Deus torna possível: esta mudança é vivida de modo especial no Sacramento da Reconciliação.

Esta caminhada quaresmal quer ser a expressão externa e a oportunidade para se fazer um caminho mais profundo, a partir do coração de cada pessoa humana: “Convertei-vos e crede no Evangelho” (Mc 1,15).

A Campanha da Fraternidade deste ano é voltada para a Fraternidade, Igreja e Sociedade, com o lema “Eu vim para servir” (cf. Mc 10, 45).

No ANO DA CARIDADE, no JUBILEU CENTENÁRIO DA ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA, viveremos este sinal público para nossa Igreja Arquidiocesana de Fortaleza:

A CAMINHADA PENITENCIAL
no dia 08 de março – 3º Domingo da Quaresma
com início às 7h00min,
saindo da Igreja Nossa Senhora da Saúde, no Mucuripe,
até a Catedral Metropolitana.

Em Celebração Penitencial dará oportunidade de Confissão Sacramental para os fieis que assim desejarem: gesto concreto de conversão, mudança de vida, com a confissão dos próprios pecados e busca do perdão de Deus no Sacramento da Reconciliação.

CHAMAMOS OS SACERDOTES QUE SE FAÇAM PRESENTES COM TÚNICA E ESTOLA ROXA, DISPONÍVEIS PARA ATENDIMENTO DAS CONFISSÕES DOS FIEIS DURANTE A CAMINHADA PENITENCIAL.

Para que o maior número possível de fieis possa participar, nas Paróquias e Áreas Pastorais metropolitanas, todas as celebrações sejam realizadas nas igrejas nas Primeiras Vésperas no dia 7 e na parte da tarde do dia 8, ficando reservada a manhã do dia 8 DE MARÇO para esta grande manifestação comum de conversão de nossa Igreja Arquidiocesana.

Confiamos a nossos irmãos colaboradores no pastoreio da Arquidiocese divulguem este evento e convidem os fieis a participar, estimulando a vivência quaresmal com gestos de penitência e conversão.

Com nosso abraço fraterno e orações, o desejo de uma Santa Quaresma e Feliz Páscoa!

Em Jesus e Maria.

+José Antonio Aparecido Tosi Marques
Arcebispo Metropolitano de Fortaleza

18 de fev de 2015

Papa Francisco envia mensagem para Campanha da Fraternidade 2015

Por ocasião da abertura da Campanha da Fraternidade 2015, promovida pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), nesta Quarta-feira de Cinzas, 18, o papa Francisco enviou mensagem, na qual destaca que o tempo quaresmal é propício para a vivência dos sentimentos de fraternidade e cooperação.
No texto, o papa Francisco fala da importância da contribuição da Igreja no respeito à laicidade do Estado, sem esquecer a autonomia das realidades terrenas, conforme motiva a Doutrina Social, em vista do bem do ser humano. "Cada um deve fazer a sua parte, começando pela minha casa, no meu trabalho, junto das pessoas com que me relaciono. E de modo concreto, é preciso ajudar aqueles que são mais pobres e necessitados", disse Francisco.
Ao final da mensagem, o papa cita, ainda, o lema da CF 2015, "Eu vim para servir", recordando as palavras de Jesus. "Queridos irmãos e irmãs, quando Jesus nos diz 'Eu vim para servir', no ensina aquilo que resume a identidade do cristão: amar servindo. Por isso, faço votos que o caminho quaresmal deste ano, à luz das propostas da Campanha da Fraternidade, predisponha os corações para a vida nova que Cristo nos oferece, e que a força transformadora que brota da sua Ressurreição alcance a todos em sua dimensão pessoal, familiar, social e cultural e fortaleça em cada coração sentimentos de fraternidade e de viva cooperação. A todos e a cada um, pela intercessão de Nossa Senhora Aparecida, envio de todo coração a Bênção Apostólica, pedindo que nunca deixem de rezar por mim", disse.  
Confira aqui a íntegra da mensagem do Papa

15 de fev de 2015

Seminaristas participam de Manhã de Espiritualidade sobre a “amizade com Deus”

Os seminaristas do Seminário Propedêutico Dom Aloísio Lorscheider  participaram neste sábado da primeira manhã de espiritualidade. O encontro teve como tema A Amizade com Deus e foi ministrado por Padre João Paulo Dantas, membro da Comunidade Católica Shalom.


O sacerdote apontou a “humildade e confiança” como  pontos que são transformados a partir da vida de oração. “Na oração aprendemos a verdadeira humildade, aquela que vem de dentro para fora e não  faz o caminho oposto; a confiança, por sua vez, ‘é a irmã mais nova da fé e da caridade’”, disse o padre citando o poeta Charles de Peguy.
“Precisamos ser padres que confiam em Deus”, advertiu o padre acrescentando que “Deus não é fantoche da nossa vontade”. Relembrando a mensagem de santa Faustina de Kowaslka e a revelação particular de Jesus a Santa Margarida Maria Alacoque o sacerdote citou “ que o pecado que mais desagrada a Deus é a desconfiança nele por parte de seus consagrados”.










Tornar-se amoroso e misericordioso, ter a inteligência purificada e a vontade liberta foram citadas pelo pregador como pontos trabalhados na vida de intimidade com Deus. “Nós estamos aqui para servir”, disse.
Nossos pecados tornam-se obstáculos para a ação da graça de Deus, mas não podem nos paralisar. “Precisamos criar a perseverança, o hábito da oração”, indicou. “ A palavra de Deus é uma outra arma que ajuda a derrotar a tentação”, explicou o padre relembrando a narrativa da tentação do Diabo a Jesus em seu retiro de 40 dias no deserto.
Como frutos da vida de oração padre João Paulo elencou a disposição interior e contínua para a conversão, a caridade pastoral, o amor à Palavra de Deus, à Eucaristia e à Virgem Maria além do amor à Igreja e à humanidade. “Não podemos esquecer jamais que tudo começa aos pés do senhor, senão toda nossa formação estará como que  edificada sobre a areia. Ruirá ante a primeira tempestade”, finalizou.
Padre Rafahel Maciel, Reitor do Seminário Propedêutico, frisou a importância da oração nestes dias de carnaval. O sacerdote fez uma comovente prece pelas pessoas que participarão dos diversos retiros de carnaval e por aqueles que de algum modo viverão estes dias como se Deus não existisse.
Texto/Imagem: Vanderlúcio, seminarista da Arquidiocese de Fortaleza

12 de fev de 2015

Calendário geral dos encontros vocacionais da Pastoral Vocacional de Fortaleza


Neste ano de 2015 a Pastoral Vocacional dará início a uma nova experiência.

Encontros Vocacionais para adolescentes e jovens de 12 até 17 anos.

Assim, estes adolescentes e jovens poderão ter um tempo de reflexão vocacional apropriado para eles, sem precisar vir participar dos encontros vocacionais para o Seminário propriamente dito.

O primeiro encontro vocacional para adolescentes e jovens de 12 até 17 anos será no dia 07 de março, 14h30min às 18h, no Seminário Propedêutico.



* Obs.: Jovens com 17 anos completos e que não farão 18 anos em 2015

Calendário dos Encontros Vocacionais 2015 para adolescentes e jovens de 12 até 17 anos.

07 de março;

02 de maio;

04 de julho;

05 de setembro;

07 de novembro;


Aproveitamos ainda esta oportunidade para animar e fomentar a Pastoral Vocacional Diocesana de nossa Igreja Particular informando as datas dos Encontros Vocacionais Diocesanos para admissão ao Seminário, que acontecerão mensalmente, aos terceiros finais de semana, no Seminário Propedêutico, Henrique Jorge, em Fortaleza. Por algumas (raras) ocasiões as datas serão alteradas conforme tabela abaixo. Estes encontros são especialmente para aqueles jovens que já estão e para aqueles que surgirem neste ano de 2015.

O primeiro encontro vocacional de 2015 será nos dias 21 e 22 de março, e terá início às 16h, no Seminário Propedêutico.

Os Encontros Vocacionais darão a oportunidade de o jovem vocacionado discernir ainda melhor seu lugar na Igreja. A chegada dos vocacionados para o encontro acontecerá sempre no sábado à tarde, por volta das 15h (para pernoite) e prolongar-se-á até o domingo ao meio-dia (com o almoço).

* Obs.: Jovens com 17 anos completos e que farão 18 anos em 2015, já podem participar.


Calendário dos Encontros Vocacionais 2015 (para admissão ao Seminário).

21-22 de março;

11-12 de abril;

16-17 de maio;

20-21 de junho;

10 a 12 de julho (retiro dos vocacionados);

22-23 de agosto;

26-27 de setembro;

17-18 de outubro;

21-22 de novembro;

14 a 19 de dezembro (provável data do estágio para admissão 2016).

Iniciamos mais um ano na Pastoral Vocacional de nossa Arquidiocese


Estimado irmão presbítero,
Pároco / Vigário Paroquial
Saudações em N. Sr. Jesus Cristo,
Com alegria e coração cheio de esperança damos início a mais um ano na Pastoral Vocacional de nossa Arquidiocese. No último dia 25 de janeiro do corrente ano chegaram ao Seminário Propedêutico 24 vocacionados, de diversas Paróquias e Áreas Pastorais da Arquidiocese de Fortaleza. Todos cursarão o Propedêutico. São eles, a saber:
João Paulo Nascimento da Silva – Paróquia N. Sra. da Penha (Maranguape);
Felipe Gomes Araújo – Paróquia N. Sra. do Perpétuo Socorro (Jereissati I – Maracanaú);
Francisco Willian Lemos Chagas – Paróquia N. Sra. da Penha (Maranguape);
Mairton Gomes Andrade – Paróquia São Francisco das Chagas (Jereissati II – Pacatuba);
Antonio Romário S. Pontes – Paróquia N. Sra. do Perpétuo Socorro (Jereissati I – Maracanaú);
Marcelo Henrique B. de Paula – Paróquia N. Sra. do Perpétuo Socorro (Jereissati I – Maracanaú);
Aristeu Gomes de Paula Neto – Paróquia São Francisco de Assis (Tapera – Aquiraz);
Jonh Lennon Ferreira de Alencar – Paróquia Sta. Teresinha (Chorozinho);
Francisco Daniel Sousa Lopes – Paróquia N. Sra. Saúde (Caponga – Cascavel);
Francisco Jairo Gonçalves dos Santos – Paróquia Sta. Teresinha (Chorozinho);
George da Silva Soares – Paróquia São Joaquim e Santa Ana (Eusébio);
Manoel Rodrigues Frutuoso Junior – Paróquia Mãe Santíssima (Pq Dois Irmãos – Fortaleza);
Joaquim Fernando Pontes III – Paróquia Sta. Luzia (Meireles – Fortaleza);
José Augusto Leitão Brasileiro – Paróquia Jesus, Maria e José (Antonio Bezerra – Fortaleza);
José Paulo de Abreu Filho – Área Pastoral Sta. Teresinha (Marechal Rondon – Caucaia);
Francisco Vanderlúcio Souza – Paróquia São Pedro e São Paulo (Quintino Cunha – Fortaleza);
Lucas Nunes Pedrosa – Área Pastoral N. Sra. de Fátima (Genibaú – Fortaleza);
Francisco Wesley Abreu Alves – Área Pastoral São Francisco de Assis (Vila Velha – Fortaleza);
José Roberto B. Guilhermino – Paróquia Sto. Antonio de Pádua (J. Iracema – Fortaleza);
Francisco Felipe Piccinini Dote – Paróquia N. Sra. Salete (Bela Vista – Fortaleza);
Carlos Vinícios Moreira Rodrigues – Área Pastoral Sto. Antonio (Planalto Pici – Fortaleza);
José Jairton Barbosa da Silva – Paróquia N. Sra. das Dores (Campos Belo – Caridade);
Danilo Targino – Paróquia São Pedro (Barreira);
Manuel Bruno – Paróquia Imaculado Coração de Maria (Henrique Jorge – Fortaleza).

Estes jovens, como tantos outros irmãos presbíteros, diáconos e seminaristas, ouvindo o chamado de Jesus Cristo colocaram-se à disposição para o processo formativo oferecido pela Igreja. Com muita esperança e confiança no Senhor pensamos que eles poderão fazer uma caminhada de profundo discipulado e missionariedade com o Senhor Jesus Cristo.
Contamos sempre com suas orações e de toda a sua comunidade paroquial e pastoral, por eles e pela equipe de formação que irá acompanhá-los. Neste ano de 2015 chega ao Seminário Propedêutico para compor a Equipe de Formação o Pe. Vicente Gomes de Oliveira. Aproveitamos a oportunidade para agradecer o auxílio que o Pe. Roberto Reinaldo Pereira de Queiroz deu durante os 03 anos que passou na Equipe de Formação de nosso Propedêutico; Pe. Roberto deixa a Equipe a pedido do nosso Arcebispo para assumir a missão de iniciar uma nova Paróquia, Paróquia São José, em Canindé. Mais uma vez ao Pe. Roberto nosso muito obrigado e que Deus lhe abençoe na nova e grande missão que a Igreja lhe confia.
Aproveitamos ainda esta oportunidade para animar e fomentar a Pastoral Vocacional Diocesana de nossa Igreja Particular informando as datas dos Encontros Vocacionais Diocesanos, que acontecerão mensalmente, aos terceiros finais de semana, no Seminário Propedêutico, Henrique Jorge, em Fortaleza. Por algumas (raras) ocasiões as datas serão alteradas conforme tabela abaixo. Estes encontros são especialmente para aqueles jovens que já estão e para aqueles que surgirem neste ano de 2015.
O primeiro encontro vocacional de 2015 será nos dias 21 e 22 de março, e terá início às 16h, no Seminário Propedêutico.
Os Encontros Vocacionais darão a oportunidade de o jovem vocacionado discernir ainda melhor seu lugar na Igreja. A chegada dos vocacionados para o encontro acontecerá sempre no sábado à tarde, por volta das 15h (para pernoite) e prolongar-se-á até o domingo ao meio-dia (com o almoço).
Neste ano de 2015 a Pastoral Vocacional dará início a uma nova experiência. Encontros Vocacionais para adolescentes e jovens de 12 até 17 anos. Assim, estes jovens poderão ter um tempo de reflexão vocacional apropriado para eles, sem precisar vir participar dos encontros vocacionais para o Seminário propriamente dito.
O primeiro encontro vocacional para adolescentes e jovens de 12 até 17 anos será no dia 07 de março, 14h30min às 18h, no Seminário Propedêutico.
Lembramos querido irmão presbítero, que o Pároco/Vigário Paroquial, são os primeiros responsáveis no acompanhamento inicial dos jovens vocacionados, ajudando no discernimento e no acompanhamento pastoral deles em suas respectivas comunidades, encaminhando-os para o devido acompanhamento na Região Episcopal. Seguem também em anexo também algumas datas importantes, dentre elas algumas estarão em negrito (vide anexo), pois será de suma importância a participação de leigos da sua Paróquia/ Área Pastoral.
Querido irmão queremos agradecer mais uma vez a sua valiosa colaboração no processo da formação de nossos futuros presbíteros seja com suas orações seja com sua ajuda material. Continuamos contando, em nossos Seminários, com seu auxílio valioso na promoção de novas vocações e no apoio espiritual e material de nossas Casas.
 Auguramos um ano repleto de realizações em sua atividade pastoral, sempre animados pela vitória de Cristo e acompanhados pela proteção materna de Nossa Senhora da Assunção.
Fortaleza, 31 de janeiro de 2014
Memória litúrgica d de São João Bosco
No Ano Jubilar Centenário da Arquidiocese de Fortaleza
Pe. Rafhael Silva Maciel
Reitor Seminário Propedêutico
Coord. Arquidiocesano da Pastoral Vocacional
Pe. Vicente Gomes de Oliveira
Vice-Reitor Seminário Propedêutico
Vice- Coord. Arquidiocesano da Pastoral Vocacional

8 de fev de 2015

“Durante uma adoração em minha paróquia eu senti Deus me chamando a servi-Lo como padre”, afirma seminarista brasileiro

“A vida de oração, a formação e a vida comunitária têm me motivado a ser fiel a vocação para a qual Deus me chamou e isso tem sido muito especial para mim”, afirmou o seminarista Manuel Rodrigues, vocacionado do Seminário Propedêutico da Arquidiocese de Fortaleza. A Arquidiocese está entre as que mais acolheram novos candidatos para o sacerdócio no Brasil.

“Minha vocação surgiu após a minha conversão em 2013, eu conheci a Banda Rosa de Saron e por meio dela fiz amizades que me fizeram voltar para a Igreja. Durante o Festival Halleluya de 2013, o clima da Jornada Mundial da Juventude no Rio começou a mexer comigo e eu senti o chamado a participar ainda mais. Aos poucos, fui voltando à Igreja e durante uma adoração em minha paróquia eu senti Deus me chamando a servi-Lo como padre”, testemunhou o jovem Manuel Rodrigues.

A vida de oração aliada ao desejo de aprender cada vez mais sobre a Doutrina da Igreja e a vida dos santos motivaram Manuel a responder de forma positiva ao chamado de Deus.

“Após conversar com alguns amigos, decidi entrar no vocacional. As formações realizadas nesse período foram um grande impulso, a cada encontro eu ficava mais motivado a entrar no seminário. Após uma partilha com o sacerdote de minha paróquia tomei a decisão”, testemunhou.

O aumento do número de vocações sacerdotais em Fortaleza conta com um detalhe especial. Dos 24 novos vocacionados da turma deste ano, 11 tem nível superior.

Entre eles, o seminarista Jairo dos Santos que concluiu Psicologia no ano passado e resolveu trilhar o caminho formativo para o sacerdócio.

“Tudo é graça de Deus, inclusive a profissão que recebemos, desta maneira, com alegria coloco minha formação à disposição do povo de Deus e da Igreja", disse Jairo.

Fernando Pontes é graduado em Filosofia e Especialista em Filosofia da Religião. Em seu discernimento vocacional o amor pelo altar falou mais forte.

“Gostava do magistério, foi um desafio abrir mão; mas, sentia um vazio e percebi que ele só poderia ser preenchido com uma doação total de minha vida”, disse.

Após o período introdutório da formação sacerdotal, no Seminário Propedêutico, a turma tem pela frente as faculdades, filosofia e teologia. Os estudos acontecem na Faculdade Católica de Fortaleza, entidade responsável pela formação do clero desde 1864. O Seminário é mantido pela Arquidiocese de Fortaleza e pela doação dos fieis.

Este ano, a Pastoral Vocacional dará início a encontros vocacionais para adolescentes e jovens de 12 a 17 anos. O primeiro vai acontecer nos dias 14 e 15 de março no Seminário Propedêutico.  Para participar, o candidato deve primeiro procurar o Padre da sua Paróquia e depois entrar em contato com o Seminário.

Por Cláudia Brito de Albuquerque e Sá

Fonte: ACI Digital 

Seminário Propedêutico de Fortaleza teve aumento de 100% de vocacionados. A razão? O apostolado pessoal, explica padre brasileiro

Com um motivo a mais para dar graças a Deus, o arcebispo de Fortaleza, Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, presidiu nesta sexta-feira, às 19h, no Seminário Propedêutico Dom Aloísio Lorscheider, a missa de acolhimento da nova turma de 24 seminaristas. O número é 100% a mais em relação a 2012. Em 2014 e 2013 foi 80% maior com uma turma de 19 candidatos. Este número coloca a Arquidiocese dentre as que mais acolheram novos candidatos ao sacerdócio no Brasil.

“Eu avalio esse crescimento com muita alegria, em primeiro lugar, porque é sinal da resposta dos jovens, mas também como uma grande responsabilidade, porque assumimos o dever de educar esses jovens para o sacerdócio”, disse.

Para ele, o aumento do número de vocações nos últimos anos sofreu influência do Papa emérito Bento XVI e do Papa Francisco.

“A Igreja tem vivido um novo Pentecostes desde o Vaticano II. O Papa Francisco tem influenciado muito nas questões vocacionais e falado muito aos seminaristas, contando a história da própria vocação, mas a geração que nos procura também viveu o Pontificado de Bento XVI. Acredito que há uma mistura entre a liturgia e o empenho doutrinal de Bento XVI e todo o carisma do Papa Francisco. É uma geração de dois Papas”, resumiu.

Outra razão para o aumento do número de vocações, na visão do Padre Raphael, são as novas comunidades e movimentos eclesiais, chamados por São João Paulo II de “Primavera da Igreja”.

“Pela minha experiência, esse tem sido um chão muito fértil para o surgimento de novas vocações. Além das paróquias que são a primeira base, onde surgem os movimentos e acontece a vida desses novos grupos e comunidades”, observou o padre.

O baixo índice de desistência das novas vocações também chama a atenção, dos 19 que ingressaram em 2014, 90 % da turma concluiu o ano formativo e passou para a etapa seguinte.

“Acredito que um dos grandes trunfos é o diálogo com os diversos ramos da Igreja e com as diversas experiências de vida religiosa. Temos procurado fazer isso com mais propriedade. Outra coisa importante é a atenção direta à pessoa, a cada formando. Procuramos não fazer uma formação massiva, mas sim uma formação personalizada. Acredito que isso tem sido o grande diferencial”, avaliou o sacerdote.

A juventude dos padres de Fortaleza foi citada como um grande incentivo para os vocacionados.

“Nossa Arquidiocese tem um número muito elevado de padres jovens, ordenados nos últimos 11 anos, e ver padres jovens também exerce uma influência nos vocacionados”, ressaltou.

A partir de 2015, terá início um grupo de discernimento vocacional, com encontros periódicos para adolescentes e jovens, de 12 a 17 anos.

“Eles têm procurado muito o seminário. Isso mostra que tem vocações muito novas nascendo na Igreja e precisamos ter um cuidado muito pessoal com cada um deles”, destacou Padre Raphael, que também é responsável pela Pastoral Vocacional da Arquidiocese de Fortaleza.

Por Cláudia Brito de Albuquerque e Sá

Fonte: ACI Digital 

4 de fev de 2015

Papa explica a importância do pai na família

Na catequese de hoje, Francisco se concentrou no valor da figura paterna, que deve ser presente, firme e misericordiosa


















CATEQUESE
Sala Paulo VI – Vaticano
Quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015
Boletim da Santa Sé
Tradução: Jéssica Marçal
Queridos irmãos e irmãs, bom dia!
Hoje gostaria de desenvolver a segunda parte da reflexão sobre a figura do pai na família. Na vez passada, falei do perigo dos pais “ausentes”, hoje quero olhar ao aspecto positivo. Também São José foi tentado a deixar Maria, quando descobriu que estava grávida: mas intervém o anjo do Senhor que lhe revelou o desígnio de Deus e a sua missão de pai adotivo; e José, homem justo, “toma consigo sua esposa” (Mt 1, 24) e se torna o pai da família de Nazaré.
Cada família precisa do pai. Hoje nos concentremos no valor do seu papel, e gostaria de partir de algumas expressões que se encontram no Livro dos Provérbios, palavras que um pai dirige ao próprio filho, e diz assim: “Filho meu, se o teu coração for sábio, também o meu será cheio de alegria. Exultarei dentro de mim, quando os teus lábios disserem palavras retas” (Pv 23, 15-16). Não se poderia exprimir melhor o orgulho e a comoção de um pai que reconhece ter transmitido ao filho aquilo que realmente conta na vida, ou seja, um coração sábio. Este pai não diz: “Estou orgulhoso de você porque és igual a mim, porque repetes as coisas que eu digo e que eu faço”. Não, não lhe diz simplesmente qualquer coisa. Diz-lhe algo de bem mais importante, que podemos interpretar assim: “Serei feliz toda vez que te ver agir com sabedoria e estarei comovido toda vez que te ouvir falar com retidão. Isso é aquilo que quis te deixar, para que se tornasse uma coisa tua: a atitude de sentir e agir, de falar e julgar com sabedoria e retidão. E para que tu pudesses ser assim, te ensinei coisas que não sabia, corrigi erros que não vias. Fiz você sentir um afeto profundo e ao mesmo tempo discreto, que talvez não reconhecestes plenamente quando eras jovem e incerto. Dei a você um testemunho de rigor e de firmeza que talvez você não entendeu, quando você quis somente cumplicidade e proteção. Precisei eu mesmo, primeiro, colocar-me à prova da sabedoria do coração e vigiar sobre os excessos de sentimento e do ressentimento, para levar o peso das inevitáveis incompreensões e encontrar as palavras certas para me fazer entender. Agora, continua o pai – quando vejo que você procura ser assim com os teus filhos, e com todos, me comovo. Sou feliz de ser teu pai”. É assim que diz um pai sábio, um pai maduro.
Um pai sabe bem quanto custa transmitir esta herança: quanta proximidade, quanta doçura e quanta firmeza. Porém, que consolo e recompensa se recebe quando os filhos honram esta herança! É uma alegria que redime todo cansaço, que supera toda incompreensão e cura toda ferida.
A primeira necessidade, então, é justamente essa: que o pai seja presença na família. Que seja próximo à mulher, para partilhar tudo, alegrias e dores, cansaços e esperanças. E que seja próximo aos filhos em seu crescimento: quando brincam e quando se empenham, quando estão despreocupados e quando estão angustiados, quando se exprimem e quando ficam em silêncio, quando ousam e quando têm medo, quando dão um passo errado e quando reencontram o caminho; pai presente, sempre. Dizer presente não é o mesmo que dizer controlador! Porque os pais muito controladores anulam os filhos, não os deixam crescer.
O Evangelho nos fala do exemplo do Pai que está nos céus – o único, diz Jesus, que pode ser chamado realmente “Pai bom” (cfr Mc 10, 18). Todos conhecem aquela extraordinária parábola chamada do “filho pródigo”, ou melhor, do “pai misericordioso”, que se encontra no Evangelho de Lucas no capítulo 15 (cfr 15, 11-32). Quanta dignidade e quanta ternura na espera daquele pai que está na porta da casa esperando que o filho retorne! Os pais devem ser pacientes. Tantas vezes não há outra coisa a fazer se não esperar; rezar e esperar com paciência, doçura, magnanimidade, misericórdia.
Um bom pai sabe esperar e sabe perdoar, do fundo do coração. Certo, sabe também corrigir com firmeza: não é um pai frágil, complacente, sentimental. O pai que sabe corrigir sem degradar é o mesmo que sabe proteger sem se economizar. Uma vez ouvi em uma reunião de matrimônio um pai dizer: “Algumas vezes preciso bater um pouco nos filhos… mas nunca no rosto para não degradá-los”. Que bonito! Tem sentido de dignidade. Deve punir, faz isso de modo justo, e segue adiante.
Portanto, se há alguém que pode explicar até o fundo a oração do “Pai nosso”, ensinada por Jesus, este é justamente quem vive em primeira pessoa a paternidade. Sem a graça que vem do Pai que está nos céus, os pais perdem a coragem e abandonam o campo. Mas os filhos precisam encontrar um pai que os espera quando retornam dos seus insucessos. Farão de tudo para não admitir isso, para não deixarem ver, mas precisam; e não encontrar isso abre feridas difíceis de curar.

A Igreja, nossa mãe, é empenhada em apoiar com todas as suas forças a presença boa e generosa dos pais nas famílias, porque esses são para as novas gerações protetores e mediadores insubstituíveis da fé na bondade, da fé na justiça e na proteção de Deus, como São José.
Fonte: Canção Nova

Fique ligado - Jubileu 16