Site da Arquidiocese de Fortaleza

Acesse o site de nossa arquidiocese e fique bem informado.

Palavra do Pastor

Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, Arcebispo Metropolitano de Fortaleza

28 de mar de 2012

Fique atento....

Já está publicado o TESTEMUNHO vocacional dessa semana... E acompanhe em NOTÍCIAS E ATUALIDADES  a visita do papa a CUBA...

A IGREJA É VIVA...

À medida que servimos a Deus somos livres

O Evangelho de hoje, dentre tantas coisas, nos traz o caminho de santidade que passa pelo seguimento a Cristo, pois  esse  é, na realidade, um caminho na liberdade e na verdade.

De fato, Jesus diz: “Se permanecerdes fiéis à minha palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos; conhecereis a verdade e a verdade libertar-vos-á” (João 8,31-32).
Propor a santidade de vida nada mais é do que oferecer o caminho da autenticidade e da liberdade. À luz da fé, ser  santo é viver a verdade total, não limitada às realidades materiais ou apenas à vida terrena. Com efeito, o santo tem em consideração tanto os bens materiais como os espirituais; ele considera tanto a realidade terrena como a sobrenatural, contempla a própria vida não apenas na perspectiva temporal, mas também eterna. Por outras palavras, o santo vive a pureza de intenções, considerando todos os aspectos da própria existência.
O aspecto mais importante é que quem deseja a santidade abre-se para Deus, o bem supremo e fonte verdadeira. Jesus disse: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida” (Jo 14,6). Depois da Sua Morte e Ressurreição, o Senhor prometeu que nos enviaria o Espírito Santo como “o Espírito da Verdade” (Jo 16,13).
Diante de Pilatos, Jesus disse: “Foi por isso que nasci e para isso vim ao mundo: para dar testemunho da verdade” (Jo 18,37). Seguindo radicalmente a Cristo, caminhamos na autenticidade total.
A santidade de vida e a abertura à graça nos ajudam, na realidade, a compreender mais profundamente as verdades de Deus. São Paulo  escreve: “O homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus; para ele são loucura, e não é capaz de as compreender” (1Cor 2,14). Ou ainda: “Todo aquele que peca não viu Deus nem o conheceu” (1Jo 3,6).
Não alcançamos a contemplação plena do rosto do Senhor unicamente com as nossas forças, mas deixando-nos guiar pela Sua graça. Só a experiência do silêncio e da oração oferecem o horizonte adequado, nos quais pode maturar e desenvolver-se o conhecimento mais verdadeiro, aderente e coerente ao mistério de Deus. Por este motivo, com frequência nos surpreende a compreensão perspicaz  sobre Deus que os santos demonstram, mesmo os que não fizeram muitos estudos.
No Evangelho, Jesus fala da liberdade espiritual. Na realidade, o olhar sobre todos os aspectos da nossa existência, ajuda-nos a encontrar uma justa escala de valores. Auxilia-nos, por conseguinte, a não nos tornarmos dependentes nem permanecermos escravos dos bens materiais e das nossas concupiscências, dos vícios, do pecado; mas nos estimula e nos torna capazes de desejar os valores mais importantes, indestrutíveis, perenes.
Jesus, no Evangelho de hoje, responde aos judeus de maneira clara: “Em verdade, em verdade vos digo: aquele que cometer pecado é escravo do pecado”. Vem à nossa mente tantos jovens que, hoje, são escravos da droga, do sexo, do prazer, do dinheiro, do orgulho, da preguiça, da inveja, etc. Não são livres para desejar valores maiores.
Contudo, quem de nós não experimentou – e não experimenta em maior ou menor medida – a escravidão de vários vícios e debilidades? Santo Agostinho, que depois de uma vida tão libertina teve que se esforçar bastante para encontrar esta liberdade espiritual, isto é, para partir as correntes dos seus maus hábitos e da paixão carnal, escreveu com convicção: “Ouso dizer que à  medida que servimos a Deus somos livres, enquanto que, à medida que servimos a lei do pecado, somos escravos”.
Santo Agostinho também tinha a consciência de que a liberdade espiritual não se alcança plenamente com as próprias forças, mas unicamente por meio da graça, da ajuda do Senhor. Contudo, Jesus afirma isso de maneira clara no Evangelho que ouvimos: “Por conseguinte, se o Filho vos libertar, sereis verdadeiramente livres”.
O caminho de santidade é para a liberdade espiritual, que pode se manifestar “até em condições de constrição exterior”, como nos ensina o Papa João Paulo II, na Carta Encíclica “Redemptor Hominis”, 12.
A condição da sua autenticidade é “a exigência de uma relação honesta em relação a toda verdade  acerca do homem e do mundo”, continua Sua Santidade. Assim, voltam à nossa mente as palavras de Jesus no Evangelho de hoje: “a verdade libertar-vos-á”.
Peçamos ao Senhor que nos ajude a aceitar, seriamente, o convite à santidade nas nossas condições de vida cotidiana, que não é mais que um convite a caminhar na verdade total e na liberdade autêntica.
Padre Bantu Mendonça

24 de mar de 2012

O fogo de Jesus tem que abrasar nossos corações. ISSO É UMA URGÊNCIA

A mensagem central de hoje – e de todo o Evangelho segundo João – é que “Deus amou tanto o mundo, que deu Seu Filho Unigênito, para que não morra todo aquele que nele crê, mas, tenha a vida eterna” (Jo 3,16).
A presença de Jesus, como Luz do mundo, divide inevitavelmente os seres humanos entre os que se decidem pela Luz e, por isso, ficam do lado da vida, e os que se decidem pelas trevas, ficando do lado da morte. A Quaresma é ocasião oportuna para reforçarmos nossa decisão pela vida, que é Cristo, e ajudarmos os que estão nas trevas a optar pela luz e abandonar a morte.
“Não vim trazer a paz, mas a divisão”. Jesus era consciente de que um efeito – ainda que não desejado – do seu trabalho fosse ser causa de divisão entre os partidários do imobilismo e os que lutam por um mundo novo. Por isso, inflamou a ira dos funcionários do Templo e de todos os que se consideravam “donos” da verdade.
O fogo da Palavra de Deus não era para funcionários lúgubres saturados de doutrinas e sedentos de poder, pois a chama de Jesus não é a das paixões políticas, mas o Espírito que tem de ser aprovado na entrega total, no batismo da doação pessoal. É um fogo que prende aqueles que abandonaram os interesses pessoais e buscam um mundo de irmãos.
Jesus ensinava as multidões em Jerusalém durante a Festa das Tendas. Muitos aderiram às Suas Palavras e aclamaram que, na verdade, Ele era um profeta que tinha surgido no meio deles. Outros, que esperavam um messias glorioso, ficaram céticos diante da origem de Jesus da Galileia, pois, segundo eles, o messias que esperavam não se saberia de onde era. No entanto, de Jesus sabiam, pois conheciam seus pais; embora soubessem, pelas Escrituras, que Ele seria descendente de Davi e que haveria de nascer em Belém.
Pelo sim ou pelo não, Ele é o Messias que deveria vir ao mundo. A hostilidade crescente dos dirigentes judeus se concretizava em ação, ao mandar prender Jesus.
Os próprios guardas reconhecem a autenticidade das Palavras do Senhor e se recusam a prendê-Lo. Os fariseus, censurando os guardas, mostram o desprezo que tinham pelo povo, considerando-o ignorante, maldito e pecador.
Um dos fariseus, Nicodemos, procura defender Jesus e é também censurado. A origem de Cristo não é a de um messias poderoso, mas o próprio Deus de Misericórdia que a todos acolhe em Seu eterno amor.
A morte e ressurreição de Jesus é o juizo do mundo, pois Ele é mais do que um  profeta. Ele é o Messias, o Deus conosco! É o Senhor presente na história da nossa vida marcada de quedas e, muitas vezes, de fracassos. Ele veio para nos reerguer e fortalecer, dando-nos uma dignidade igual à d’Ele. É urgente que o fogo trazido pelo Senhor se ateie o quanto antes em nosso coração.
Jesus veio para estabelecer a unidade universal, a união de todo o universo com o Pai, mas acaba sendo “sinal de contradição” para os olhos e para o coração de quem, para Ele, não sabe se voltar.
Volte-se para Jesus! Você e sua família estarão salvos da morte eterna.
Padre Bantu Mendonça

21 de mar de 2012

Nosso novo bispo auxiliar, Mons. José Luiz Vasconcelos, exercia ultimamente a missão de Reitor do Seminário Interdiocesano de Caruaru, dos estudantes de filosofia e teologia. Isso tem tudo a ver com a Pastoral Vocacional. Amigo blogueiro, se você deseja conhecer mais um pouco desse ofício de nosso bispo auxiliar e sobre sua missão, escute dele o que ele pensa sobre a vida e missão no Seminário, acessando o link abaixo:

http://g1.globo.com/videos/ceara/cetv-1dicao/t/edicoes/v/papa-bento-xvi-nomeia-novo-bispo-auxiliar-para-fortaleza/1867567/

TESTEMUNHOS

Queridos amigos....


Já está postado mais um testemunho vocacional.... Vale a pena conferir !!!!!!

A IGREJA É VIVA !!!!

PRIMEIRAS PALAVRAS DE MONS. JOSÉ LUIS AO POVO DA ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA
Exmo. Sr. Arcebispo Metropolitano de Fortaleza, Dom Jose Antônio Aparecido Tosi Marques; Excelentíssimo Sr. Bispo Auxiliar de Fortaleza Dom Rosalvo Cordeiro de Lima e Excelentíssimo Sr. Bispo Eleito para Pesqueira Dom José Luís Ferreira Sales; reverendíssimos padres e diáconos; estimados religiosos e religiosas, seminaristas, consagrados(as), missionários(as) que atuam nesta desde já tão amada Arquidiocese de Fortaleza, estimado Povo de Deus! A todos vós saúde e paz da parte de Deus nosso Pai e de Jesus nosso Redentor!
Desde a minha mais tenra juventude escutei o eco de um chamado feito por Jesus ao Apóstolo Pedro: “Pedro, tu me amas? Apascenta as minhas ovelhas!” (Jo21,17) A pergunta e a ordem dadas por Jesus sempre me inquietaram. Sentia no meu hoje, que Jesus estava a perguntar-me: José Luiz, Tu me amas? E nunca, jamais, hesitei em dar a mesma reposta de Pedro: “Senhor, tu sabes tudo, tu sabes que eu te amo!” E, por causa deste amor por Jesus, acolhi, como Pedro, a missão de apascentar suas ovelhas. Passei a amar verdadeiramente essas ovelhas porque elas são de Jesus, o maior amor de minha vida. Vejo que o rebanho é diferenciado: existem ovelhas gordas, ovelhas fiéis, ovelhas que conhecem à voz do Pastor; mas também encontro ovelhas doentes, sofridas, perdidas, e até extraviadas e rebeldes! Amo a todas, todavia! Amo a todas sem distinção. E, se tenho preferência por algumas, o meu amor preferencial é pelas mais necessitadas.
A este rebanho de Jesus decidi definitivamente consagrar minha vida. No dia 09 de dezembro deste ano faz 23 anos que esta consagração se efetuou quando fui ordenado presbítero, pastor do Povo de Deus com o lema: “Tu me amas? Apascenta as minhas ovelhas”. Fui e sou um sacerdote feliz. Por 16 anos exerci o pastoreio como Administrador Paroquial e Pároco em duas grandes Paróquias, colaborando com a pastoral da Diocese de Garanhuns. Porém, há quatro anos, o Senhor me chamou para cuidar dos seus “cordeiros”, cordeiros escolhidos, jovens seminaristas em processo de discernimento vocacional de cinco dioceses do interior de Pernambuco em Caruaru. Que missão árdua, porém, gratificante! Cuidar dos futuros pastores da Igreja! Garantir a sucessão da missão.
Finalmente, a Igreja me convoca para algo mais. O Bom Pastor assim me diz: “Tenho outras ovelhas que não são deste rebanho”, e convida-me a deixar agora estes “cordeiros” para cuidar deste novo rebanho. Qual a minha resposta? “Eis-me aqui Senhor!” Afinal são sempre tuas ovelhas e teus cordeiros, o teu rebanho. O Senhor insiste comigo: “Pasce oves meas” – “apascenta minhas ovelhas”, (Jo 21,17) será meu lema episcopal, sem esquecer que a esta ordem antecede a pergunta sempre oportuna: “Tu me amas?”.
Sinto-me agraciado em ter sido chamado por aquele que sucede ao Apóstolo São Pedro para compor o colégio dos sucessores dos Apóstolos de Nosso Senhor Jesus Cristo e de receber a plenitude deste sacerdócio que tanto amo. Sinto-me pequeno e indigno de tal missão e responsabilidade, mas creio que quando o Senhor chama, concede àquele que é chamado as graças necessárias para desempenhar esta missão.
Coloco-me a disposição do chamado de Jesus o Bom Pastor. Peço a Deus a graça de ser fiel. Fiel ao Santo Evangelho, fiel a Santa Madre Igreja, fiel ao Santo Papa o Papa, fiel aos apelos desta Arquidiocese da “Terra do Sol”, fiel à opção preferencial pelos pobres e as prioridades da Igreja no Brasil. Eis-me aqui Senhor!
Se procurarem em mim um teólogo, um perito em direito canônico, um zeloso administrador, terão que esperar um pouco, tenho muito a aprender. Se, porém, procurarem em mim um Pastor, tenho algo a oferecer.
Desde já roguem a Deus por mim, para que seja capaz de superar os meus limites humanos e servir com qualidade e fidelidade, mas, sobretudo, com muito amor, a esta Arquidiocese confiada ao Patriarca São José. Que por sua intercessão, possamos juntos, dar continuidade a uma bela história. História de fé, de esperança, de amor; enfim, de salvação.
Em breve nos veremos e na graça de Deus vamos caminhar juntos.
Fraternalmente: Pe. José Luiz Gomes de Vasconcelos.

PAPA BENTO XVI NOMEIA NOVO BISPO AUXILIAR PARA A ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA
 
O Santo Padre, o papa Bento XVI nomeou hoje, dia 21, um novo bispo auxiliar para Arquidiocese de Fortaleza, monsenhor José Luiz Gomes de Vasconcelos. Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, arcebispo metropolitano de Fortaleza, anunciou hoje pela manhã na Residência Arquiepiscopal. Sua ordenação Episcopal será no dia da Festa de São Barnabé Apóstolo, 11 de junho, na Catedral de Garanhuns, Pernambuco.
Informações sobre Monsenhor José Gomes Vasconcelos
Origem familiar
Nasceu em Garanhuns PE, aos 12 de maio de 1963, filho primogênito de José de Vasconcelos Pontes e Marlene Gomes de Vasconcelos de uma família de seis irmãos.
Dados sacramentais
Foi batizado aos 22 de maio de 1963 na igreja matriz de Nossa Senhora da Conceição (hoje N. Senhora do Perpetuo Socorro, dos missionários redentoristas em Garanhuns). Na mesma paróquia recebeu a primeira comunhão. Em 1979, na Catedral de Garanhuns, foi crismado por Dom Tiago Postma. Aos 12 de outubro de 1987, por ocasião da festa de Nossa Senhora Aparecida, foi instituído leitor e acólito na Paróquia de São Roque, bairro CECAP em Guarulhos, por Dom João Bergese bispo diocesano daquela Diocese. Aos 19 de agosto de 1989, domingo da Assunção de Nossa Senhora foi ordenado diácono na Igreja Matriz de Águas Belas –PE e aos 09 de dezembro de 1989, foi ordenado presbítero, pela imposição das mãos de Dom Tiago Postma na Igreja matriz de Nossa Senhora do Perpetuo Socorro, onde fora batizado.
Formação
Fez o curso primário no Instituto São José das irmãs da Sagrada Providência do Menino Jesus em Garanhuns – PE. Cursou o primeiro grau maior e o segundo grau no Colégio Santa Sofia das Religiosas da Instrução Cristã, ingressando no Seminário Propedêutico em Garanhuns no ano seguinte. Em 1984 foi enviado para o Seminário Regional Nordeste II e iniciou o curso de filosofia no Instituto de Teologia do Recife – ITER. No ano seguinte foi enviado por seu bispo diocesano Dom Tiago Postma para o Seminário Diocesano de Guarulhos SP. Concluiu o curso de filosofia e Teologia na Faculdade de Teologia Nossa Senhora da Assunção em São Paulo em 1988. Em 2008 como aluno do Pontifício Colégio Pio Brasileiro, obteve o diploma de mestrado em Teologia Patrística e História da Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma e Atestado de Qualificação em Formação Vocacional pela Pontifícia Universidade Salesiana de Roma.
Exercício do ministério presbiteral
Três meses após sua ordenação presbiteral recebeu provisão de Administrador Paroquia da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição das Águas Belas e vigário Paroquial da Paróquia de Nossa Senhora Mãe dos Homens em Itaíba PE, exerceu seu ministério por dez anos. Dedicou especial atenção aos Índios Fulni-ô de Águas Belas. Durante este período foi membro da equipe de formação sacerdotal diocesana. Em 1999 foi eleito membro do Conselho Presbiteral e do Colégio dos Consultores da diocese. No ano 2000 foi nomeado por Dom Irineu Roque Scherer, Pároco da Paróquia do Sr. Bom Jesus dos Pobres Aflitos em São Bento do Una e em 2002, eleito Coordenador Diocesano de Pastoral, ministério que deixou em 2005 quando foi estudar em Roma. Aos 31 de julho de 2008 recebeu provisão de Formador junto ao Seminário Interdiocesano em Caruaru por Dom Fernando Guimarães e aos 11 de dezembro daquele ano recebe de Dom Bernardino Marquió, bispo de Caruaru, a provisão como Reitor do Seminário Interdiocesano Nossa Senhora das Dores. Em 2011 Foi eleito presidente Regional da OSIB NE II.

20 de mar de 2012

Acompanhe a Pastoral Vocacional

Queridos amigos,

Esse mês foi de muito trabalho para a Pastoral Vocacional tivemos missas por toda a Arquidiocese de Fortaleza, primeiro encontro vocacional, visitas, palestras, encontros com jovens, acompanhamentos pessoais e muitas outras coisas...

Deus tem sido muito fiel quando disse que não deixaria faltar operários para a nossa messe, que é a igreja. 

Pe. Rafhael Silva Maciel, Coordenador da Pastoral Vocacional, e toda a equipe estão trabalhando intensamente para ajudar aos jovens a descobrirem o seu chamado a ouvir a voz de Deus.

Tivemos a grande graça de ter no nosso encontro vocacional mais de 60 Jovens, isso é sinal de amor e fidelidade de Deus...

Continuamos a contar com suas orações e doações...

Acompanhe algumas fotos no nosso álbum... 
Click no link ao lado e confira... Vale a Pena. ou no link https://picasaweb.google.com/114817216685539103312


 A IGREJA É VIVA 

O segredo da paciência - Aprenda a cultivar este dom

Imagem de Destaque“Vale mais ter paciência do que ser valente; é melhor saber se controlar do que conquistar cidades inteiras” (Provérbios 16,32).

Um dos sentimentos mais perturbadores da atualidade tem nome: impaciência! A falta de paciência tem feito com que muitas pessoas se desesperem quando entram em contato com esta realidade na vida. Muitos conflitos, raivas e mágoas têm ganhado vida devido à impaciência. Mas o que desencadeia esse sentimento? Como podemos exercitar a paciência em nossa vida? Como controlar a falta dessa virtude? Quais os segredos para ser paciente?

Paciência é uma virtude. Poderíamos defini-la como a capacidade de autocontrole diante de inúmeras realidades que ultrapassam os nossos limites emocionais, sociais e espirituais. 


A falta de paciência nasce na vida em função de inúmeros fatores. Fato é que a paciência faz parte do nosso processo humano. Há dias em que acordamos sem essa virtude. As dificuldades começam a se agravar quando a impaciência começa a ocupar grande parcela de nossos pensamentos e, como consequência disso, desestrutura nossa relação com o próximo, com nós mesmos e também com Deus. 

Quando o nível de impaciência adquire espaços indevidos em nossa vida, entramos em um campo complexo que necessita de reflexão e, que, na maioria das vezes, exige mudança de atitudes em relação ao que nos rouba a paz interior. Muitos dizem que não têm paciência, mas quando são questionados sobre o que lhes tira a paciência não sabem responder. Quando esta resposta não é clara temos um quadro bastante complexo e que precisa ser analisado tanto na área humana quanto na espiritual. Geralmente quando definimos um sentimento que nos incomoda e não sabemos de onde ele surge, estamos diante de uma realidade que não conhecemos, ou talvez por medo não queiramos entrar em contato com ela. O medo das próprias sombras nos impede de alcançar a luz que ilumina as nossas mais profundas realidades sombrias. 

Nem sempre é fácil aceitar o diferente. E esta é uma das realidades que mais roubam a paz de muitas pessoas. Na maioria das vezes desejamos que o outro seja como nós, pense, sinta e veja  o mundo a partir dos nossos olhares. As relações interpessoais estão marcadas pela falta de paciência com o diferente. Muitos casais, após um tempo de namoro ou de casamento, acabam descobrindo que o namorado ou marido, ou a esposa ou a namorada, é uma pessoa diferente daquilo que imaginavam. Quando isso acontece surgem os conflitos internos que desencadeiam, muitas vezes, sérios desentendimentos conjugais e de relacionamento. 

Muitos processos de namoro idealizam o outro como o protótipo da perfeição. Imaginam que estão diante de um ser humano perfeito. Quando este mito da perfeição começa a ser desconstruído surge a decepção, a tristeza e a desilusão. Nem sempre é fácil aceitar que durante muito tempo se conviveu com alguém que não era tão perfeito como antes se havia imaginado. Geralmente, quando isso acontece, muitos casais se defrontam com uma verdade com a qual até o momento não haviam tido contato. Superar a ilusão que foi criada e aceitar que o outro não é tão perfeito como se havia imaginado é um processo, muitas vezes, doloroso e que só é superado com muita compreensão e paciência.

18 de mar de 2012

Festa dos Seminários da Arquidiocese

Hoje, 18 de março de 2012, o Arcebispo de Fortaleza, Dom José Antonio Ap. Tosi Marques, encontra-se pela manhã com os seminaristas das três Casas de Formação da Arquidiocese, Propedêutico, Filosofia e Teologia. Motivo: a Festa de São José, Padroeiro de nossos Seminários. O encontro tem início com uma Missa e Laudes, seguido de momento de esporte e descontração, encerrando com um almoço. Desse encontro participam também os formadores dos três Seminários e os seminaristas das Dioceses que estão em nosso Seminário. Além de Fortaleza, estão sendo formados em nossas Casas alunos das Dioceses de Crateús, Limoeiro do Norte, Iguatu e Itapipoca.
Esse é um dos mais variados momentos em que o Arcebispo se une aos seus formandos para lhes dirigir uma palavra de ânimo e graça vocacional.

Deus abençoe e dê perseverança a cada um,

Pe. Rafhael

Encontro Vocacional - 2o. dia

Hoje pela manhã os vocacionados participaram da Santa Missa, às 07h, presidida pelo pe. Rafhael, na Igreja Matriz do Imaculado Coração de Maria, no Henrique Jorge. Foi uma oportunidade da comunidade paroquial poder rezar e se comprometer ainda mais com a causa das vocações sacerdotais.
Logo depois do café da manhã, os jovens partiram para mais uma formação, ajudados pelo casal Delanie e Augusto, na área da dimensão humana, e pela Dalma, fonoaudióloga e psicopedagoga. Os casais que nos ajudam são do Movimento das Equipes de Nossa Senhora e membros de comunidades paroquiais de nossa Arquidiocese.
Loga mais você terá cobertura completa, com fotos e vídeos, sobre nosso primeiro encontro vocacional.

Deus abençoe a todos,

Pe. Rafhael

17 de mar de 2012

CHEGADA DOS VOCACIONADOS !!!!!

Queridos irmãos,
Com grande alegria acolhemos neste dia o primeiro encontro vocacional de 2012, já estamos com mais de 60 jovens em busca do caminho de discernimento vocacional.
A Arquidiocese de Fortaleza se alegra e rejubila-se ao perceber a manifestação do amor de Deus e de Sua fidelidade ao suscitar no coração dos desses jovens o seguimento radical de Jesus o bom pastor.
Que o pastor da messe continue enviando operários para cuidar do seu povo, que o Amado de nossas almas disponha todas as graças necessárias para que neste ano cada um viva bem esse tempo de aprofundamento e discernimento vocacional.
Maria, modelo dos servidores do evangelho ensine a cada um a responder SIM com o amor, radicalidade e fidelidade que tu respondestes.
Contamos com suas orações...
Confira as fotos da chegada dos vocacionados... Fiquem atentos e não percam o que está acontecendo aqui. Amanhã álbum completo...








Vários jovens da Arquidiocese de Fortaleza começaram a chegar no Seminário Propedêutico para participar do primeiro Encontro Vocacional deste ano de 2012. Durante este final de semana acompanhe aqui o nosso encontro, com informações sobre tudo o que irá acontecer neste encontro!

15 de mar de 2012

AUMENTA O NÚMERO DE FIÉIS CATÓLICOS NO MUNDO....

O Secretário de Estado da Santa Sé, Cardeal Tarcisio Bertone, e o substituto na Secretaria de Estado para os Assuntos Gerais, Dom Angelo Becciu, apresentaram ao Papa Bento XVI o Anuário Pontifício 2012, em cerimônia na manhã do último dia 10/03. O documento, produzido pelo Departamento Central de Estatísticas da Igreja, traz os dados estatísticos referentes a 2010 e fornecem uma análise sintética das principais dinâmicas da Igreja católica nas 2.966 circunscrições eclesiásticas do planeta.

O anuário aponta que em 2010 os católicos somavam 1,196 bilhão, enquanto em 2009 o número era de 1,181 bilhão: um aumento absoluto de 15 milhões de fiéis. Os dados mostram que ao longo dos últimos dois anos a presença dos católicos batizados em todo o mundo permanece estável, em cerca de 17,5% da população global.

A pesquisa mostra também uma pequena redução na América do Sul (de 28,54% para 28,34%) e na Europa (de 24,05% para 23,83%) e crescimento África (de 15,15% para 15,55%) e no Sudeste da Ásia (de 10,41% para 10,87%).

De 2009 a 2010, o número de bispos no mundo aumentou de 5.065 para 5.104, com aumento relativo de 0,77%. A tendência de crescimento no número de sacerdotes, que começou em 2000, continuou em 2010, ano em que foram contados 412.236 padres, dos quais 277.009 diocesanos e 135.227 do clero regular. O clero aumentou entre 2009 e 2010 em 1.643 padres, a maior parte destes na Ásia.

O número de diáconos permanentes cresceu 3,7%. Já o número de religiosos professos que não sacerdotes, que apresentava há algum tempo uma tendência de declínio, se estabilizou em 2010. Eram 54.229 em 2009 e passaram a 54.665 em 2010. Já as religiosas professas diminuíram de 729.371 em 2009 para 721.935 em 2010. A queda se concentrou em três continentes (Europa, América e Oceania). O número de estudantes de filosofia e teologia nos seminários diocesanos e religiosos tem aumentado continuamente nos últimos cinco anos, em torno de 4%.

ALEGRAI-VOS A IGREJA É VIVA !!!!!


VEJAM TAMBÉM O QUE OS BISPOS DO BRASIL FALAM PARA OS NOSSOS JOVENS... 
ACESSE A PÁGINA 'JUVENTUDE'.

13 de mar de 2012

Perdoar é uma decisão. Então, decida-se!

O Evangelho de hoje nos faz refletir muito sobre um aspecto da nossa vida que está bastante presente no nosso dia a dia: o perdão.

Várias vezes por dia, e para diversas pessoas, sentimos a necessidade de pedir perdão. Isto acontece, principalmente, quando nossas atitudes magoam quem amamos ou quando vemos nos rostos destas mesmas pessoas a tristeza que causamos a elas. Esse pedido de perdão nem sempre é tão simples, principalmente se temos o orgulho latente em nós e não queremos reconhecer nosso erro. Quando as pessoas magoadas não são as que amamos, esta atitude de humildade torna-se ainda mais difícil. Mas, apesar de tudo, saiba que perdoar é uma decisão. Ora, veja:
“Então,  Pedro, aproximando-se dele, disse: ‘Senhor, até quantas vezes pecará meu irmão contra mim, e eu lhe perdoarei? Até sete?’ Jesus lhe disse: ‘Não te digo que até sete, mas, até setenta vezes sete’” (Mateus 18,21-22).
As pessoas dizem que é difícil perdoar. No entanto, creio que esta afirmação surja, porque muita gente não sabe, ao certo, o que é perdão.
Neste ensinamento de Jesus, aprendemos que devemos perdoar “setenta vezes sete”. Mas, então, o que é o perdão? Ele não é um sentimento, não é “esquecer-se de tudo”, não é ter uma “amnésia”!
Há pessoas que se recusaram a perdoar aos outros e acabaram doentes ou paralisadas, sem que nada funcione na sua vida. Você sabia que a falta do perdão pode causar doenças terríveis em nós? Muitas doenças estão relacionadas a ela. Você tem de perdoar sua esposa, seu marido, o seu vizinho, seu colega, seu patrão… Seja quem for, se não, é você quem vai ficar mal na vida, pois, se não perdoarmos os pecados uns dos outros, também Deus não perdoará os nossos.
A razão de algumas pessoas sofrerem de artrite, úlceras no estômago e até esgotamentos cerebrais, noites sem dormir, etc., é porque elas se recusam a perdoar. E, porque não perdoam, Deus também não lhes pode perdoar. Por conseguinte, sofrem as maldições que o diabo lhes impõem.
Em Mateus 18,33-35, Jesus disse que se nós não perdoarmos, de coração, ao irmão pelas ofensas cometidas, Deus também não perdoará as nossas ofensas e até nos deixará nas mãos dos atormentadores que são demônios. Deus perdoou as nossas maiores ofensas e nos deu a salvação. Nós não temos o direito de não perdoar aos outros.
Veja este exemplo: você pode ter de acordar cedo para ir trabalhar, mas isso não lhe apetecer. No entanto, você sabe que tem de ir, por isso levanta da cama; não porque deseja, mas porque é uma obrigação. Quando tiver de perdoar alguém, faça-o, quer sinta vontade ou não.
Diga a Deus: “Meu Senhor, eu perdoo àquela pessoa que me magoou e, a partir de agora, não guardo nada no meu coração contra ela”. Mesmo que, no dia seguinte, você se sinta ainda magoado, o que interessa é a sua decisão feita na véspera. A pessoa está perdoada e o seu coração está limpo. Se a outra pessoa não quiser perdoá-lo, o problema é dela, já não é mais seu.
Vimos, no Evangelho de hoje [Mateus 18,21-35], que certo empregado devia muito dinheiro ao rei, mas, quando chegou a hora do acerto de contas, o rei teve misericórdia e perdoou toda a dívida daquele empregado. Quando este homem saiu da presença do rei, foi ter com outro homem que lhe devia uma pequena quantia; como este não podia lhe pagar, lançou-o na prisão. Quando o rei soube disso, entregou seu empregado aos carrascos, confiscou todos os seus bens e todos seus familiares foram vendidos como escravos até que pagasse toda a dívida.
Se alguém o ofender, perdoe-lhe nesse mesmo instante. Não deixe passar um dia sem perdoar. Por quê? Porque estará dando lugar ao diabo que virá até você com pensamentos errados sobre aquela pessoa. E, à medida que o tempo passar, o rancor começará a brotar do seu coração e a sua comunhão com Deus ficará cortada.
Quando Jesus ensinou que devemos perdoar “setenta vezes sete”, estava dizendo que – se for necessário – devemos perdoar 490 vezes por dia, isto é, perdoar sempre, sem esmorecer, porque é assim que Deus faz também.
Portanto, trate de tomar uma decisão. É preciso perdoar hoje, aqui e agora. Decida-se!
Padre Bantu Mendonça

12 de mar de 2012

TESTEMUNHOS...

Queridos amigos blogueiros,

A vocação é um chamado amoroso que o Senhor nos faz para a nossa felicidade, é um caminho que precisa de nossa resposta generosa à voz do nosso Amado.

A partir de quinta feira próxima será postado semanalmente testemunhos vocacionais de diversas formas de vida. A cada semana um novo testemunho, um caminho pessoal que pode nos ajudar na nossa descoberta vocacional... 


Fique ligado, fique atento! Contamos com sua colaboração: se quiser enviar o seu testemunho vocacional para ser postado em nosso blog envie para o nosso e-mail com foto de preferência e de boa resolução


Nosso e-mail: pastoralvocacionalfor@gmail.com 


Deus o abençoe e vamos juntos anunciar a Jesus Cristo em sua IGREJA que é VIVA...

NOTA E FALECIMENTO DO DIÁCONO AURICÉLIO
Faleceu às 10 horas de hoje, vítima de falência múltipla dos órgãos, o Diácono Francisco Auricélio da Silva.  Nasceu  no dia 6 de setembro de 1978 no Sítio Santo Elias,  município de Meruoca, Ceará. Foi ordenado diácono no dia 10 de junho de 2011 na Catedral de Fortaleza com a imposição das mãos e oração consecratória de Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques, arcebispo metropolitano.
Após alguns dias da ordenação diaconal foi detectado um tumor câncerígeno na cabeça e internado no Hospital Cura d’Ars onde passou por várias intervenções cirúrgicas.
O corpo do Diácono Auricélio está sendo velado na Igreja Matriz da Paróquia Senhor do Bonfim, situada na rua Padre Anchieta 400, no bairro Monte Castelo,  em Fortaleza, telefone: (85) 3243-4740.
A missa das Exéquias acontecerá amanhã às 8 horas presidida pelo Arcebispo de Fortaleza e concelebrada pelos padres da Arquidiocese. Após a celebração o funeral sairá em cortejo até a Igreja São Francisco, no Conjunto Palmeira, paróquia onde reside sua família. De lá será levado para o Cemitério Jardim Metropolitano, no município do Eusébio.
A Pastoral Vocacional de nossa Arquidiocese de Fortaleza une-se a todos os familiares e amigos do nosso irmão Diác. Auricélio neste momento de separação e pede ao Senhor da Messe e Pastor do Rebanho que o testemunho de nosso irmão possa, também, produzir frutos de novas e santas vocações para a Igreja de Fortaleza, ao mesmo que pede ao Senhor que acolha este nosso irmão e amigo Auricélio e suplica conforto para seus familiares.

11 de mar de 2012

Veja foto da Missa vocacional celebrada ontem, 11 de março de 2012, na Igreja Matriz de Aquiraz, durante os festejos de S. José, padroeiro da paróquia.
Agradecemos a acolhida fraterna de nosso irmão no sacerdócio pe. Robério, pároco e vigário episcopal da Região Episcopal PraiaS. Pedro e S. Paulo e de todo o povo daquela comunidade paroquial ali reunida.
A foto é do momento em que os seminaristas de propedêutico e filosofia estão se apresentando ao povo. Na ocasião também se apresentaram as Irmãs Josefinas, Paulinas e Missionárias de Jesus, que estavam presentes  na celebração. Um momento vocacional profundo para aquela comunidade.
Importante foi saber que na Paróquia de Aquiraz está sendo implantada a Equipe Vocacional Paroquial. Se você em sua paróquia, grupo ou comunidade pensa em organizar uma equipe vocacional entre em contato conosco.

Pe. Rafhael (3290.1045)

Querido amigo e irmão vocacionado,

Está chegando o primeiro final de semana dos encontros vocacionais de nossa Arquidiocese de Fortaleza. Você que no ano passado iniciou esse caminho de discernimento conosco e também você que deseja iniciar esse caminho de discernimento vocacional junto à Arquidiocese de Fortaleza, próximo final de semana, 17 e 18 de março é sua oportunidade de começá-lo.
Se liga!!!!!

ENCONTROS VOCACIONAIS DA ARQUIDIOCESE DE FORTALEZA
17 e 18 de março de 2012
Seminário Propedêutico Dom Aloísio Lorscheider
Rua Prof. Paulo Lopes, 122
Henrique Jorge - Fortaleza

Traga: Bíblia, caderno para anotações, material de higiene pessoal, lençol ou rede e MUITA DISPOSIÇÃO PARA OUVIR A VOZ DE DEUS!

Contato: 3290.1045 > Pe. Rafhael - Reitor e Coordenador da Pastoral Vocacional
              3294.1274 > Alexandre e Vicente - Seminaristas de Teologia
              3235.2933 > Mardem e Thiago Cavalcante - Seminaristas de Filosofia

9 de mar de 2012

Discurso de Bento XVI - Curso Foro Interno


Sala Paulo VI
Sexta-feira, 09 de março de 2012



Queridos amigos,

Tenho o prazer de encontrar-vos por ocasião do curso anual do foro interno, organizado pela Penitenciária Apostólica. Dirijo uma cordial saudação ao Cardeal manuel Monteiro de Castro, Penitenciário Maior, que, pela primeira vez, presidiu as vossas sessões de estudo e o agradeço pelas cordiais expressões que quis dirigir-me. Saúdo também Dom Giafranco Girotti, regente, os que trabalham na Penitenciária Apostólica e cada um de vós que, com a vossa presença, mostrais a todos a importância que tem para a vida de fé o Sacramento da Reconciliação, evidenciando seja a necessidade permanente de uma adequada preparação teológica, espiritual e canônica para poder ser confessore, seja, sobretudo, a ligação constitutiva entre celebração sacramental e anúncio do Evangelho.

Os Sacramentos e o anúncio da Palavra, de fato, não devem nunca ser concebidos como separados, mas ao contrário, Jesus afirma que o anúncio do Reino de Deus é o objetivo da sua missão; este anúncio, entretanto, não é somente um 'discurso', mas inclui, ao mesmo tempo, o seu próprio agir; os sinais, os milagres que Jesus faz indicam que o Reino vem como realidade presente e que coincide ao final com a sua própria pessoa, com o dom de si. O sacerdote representa Cristo, o enviado do Pai, continua a missão de Cristo, mediante a palavra e o sacramento, nesta totalidade de corpo e alma, de sinal e palavra" (Catequese, 5 de maio de 2010). Exatamente esta totalidade, que funda as raízes no próprio mistério da Encarnação, nos sugere que a celebração do Sacramento da reconciliação é por ela mesma o anúncio e por isso, via a ser percorrida para a obra da nova evangelização.

Em que sentido, então, a Confissão Sacramental é via para a nova evangelização? Antes de tudo porque a nova evangelização traz a nutrição vital da santidade dos filhos da Igreja, do caminho de conversão cotidiano de conversão pessoal e comunitária para conformar-se sempre mais profundamente a Cristo. E tem uma estreita ligação entre santidade e Sacramento da Reconciliação, testemunhado por todos os santos da história. A real conversão dos corações, que é abrir-se à ação transformadora e renovadora de Deus, é o "motor" de toda reforma e se traduz em uma verdadeira força evangelizadora. Na confissão, o pecado arrependido, pela ação gratuita da misericórdia divina, é justificado, perdoado e santificado, abandona-se o homem velho para revestir-se do homem novo. Somente quem se deixou profundamente renovar pela Graça Divina, pode levar em si mesmo, e portanto, anunciar, a novidade do Evangelho. O beato João Paulo II, na carta apostólica Novo Millennio ineunte, afirmava: "Uma renovada coragem pastoral venho pedir para que a cotidiana pedagogia das comunidades cristãos saiba propor em modo convincente e eficaz a prática do sacramento da Reconciliação" (n.37) Desejo reforçar tal apelo, na consciência que a nova evangelizaão deve fazer conhecer ao homem do nosso tempo o rosto de Cristo como mysterium pietatis (mistério da piedade), aquele no qual Deus nos mostra o seu coração compassivo e nos reconcilia plenamente consigo. É esta a face de Cristo que é necessário redescobrir também através do sacramento da penitência.

Em uma época de emergência educativa, na qual o relativismo coloca em discussão a possibilidade de uma educação considerada progressiva introdução à consciência da verdade, ao sentido profundo da realidade, portanto como progressiva introdução ao relacionamento com Verdade que é Deus, os cristãos são chamados a anunciar com vigor a possibilidade do encontro entre o homem de hoje e Jesus Cristo, no qual Deus se fez proxímo ao ponto de poder ver e escutar. Nesta prospectiva, o Sacramento da Reconciliação, que toma as direções do olhar da própria concreta condição existencial, ajuda em modo singular a abertura de coração que permite dirigir o olhar a Deus para que Ele entre na vida. A certeza que Ele está próximo e na sua misericórdia, espera o homem, também aquele envolvido pelo pecado, para curar as suas enfermidades com a graça do Sacramento da Reconciliação, é sempre uma luz de esperança para o mundo.

Queridos sacerdotes e queridos diáconos que vos preparais para o Presbiterato! Na administração deste Sacramento, vos é dada e vos será dada a possibilidade de ser instrumentos de um renovado encontro dos homens com Deus. Quantos se dirigirão a vós, por causa da condição de pecadores e experimentarão em si mesmos um desejo profundo: desejo de mudança, pedido de misericórdia, e, em definitivo, desejo de se lançar, através do Sacramento, no encontro e no abraço de Cristo. Sereis colaboradores e protagonistas de tantos e possíveis novos ínicios, quantos serão os penitentes que se aproximarão, tendo a consciência que o autêntico significado de toda novidade não consiste tanto no abandono ou na remoção do passado, mas no acolher Cristo e abrir-se à sua presença, sempre nova e sempre capaz de transformar, de iluminar todas as áreas de sombras e de abrir continuamente um novo horizonte. A nova evangelização, então, parte também do Confessionário! Parte dp misterioso encontro entre a grande busca do homem, sinal nele do Mistério Criador, e a Misericórdia de Deus, única resposta adequada à necessidade humana do infinito. Se a celebração do Sacramento da Reconciliação será isto, se nele os fiéis farão real experiência da Misericórdia que Jesus de Nazaré, Senhor e Cristo nos deu, então se tornarão eles mesmos testemunhas credíveis daquela santidade, que é o fim da nova evangeliação.

Tudo isto, caros amigos, se é verdadeiro para os fiéis leigos, conquista ainda maior relevancia para cada um de nós. O ministro do Sacramento da Reconciliação colabora com a nova evangelização renovando ele mesmo por primeiro, a consciência do próprio ser penitente e da necessidade de aproximar-se do perdão sacramental, para que se renove aquele encontro com Cristo, que, iniciado no Batismo, encontrou no Sacramento da ordem uma específica e definitiva configuração. Este é o meu desejo para cada um de vós: a novidade de Cristo seja sempre o centro e a razão da vossa existência sacerdotal, para que quem vos encontre possa, através do vosso ministério, proclamar como André e João: "Encontramos o Messias" (Jo 1,41). Em tal modo, toda confissão, da qual cada cristão sairá renovado, representará um passo adiante da nova evangelização. Maria, Mãe da Misericórdia, refúgio para nós pecadores e estrela da nova evangelização acompanhe o vosso caminho. Vos agradesço de coração e com prazer vos dou a minha benção apostólica.

 

8 de mar de 2012

DIA INTERNACIONAL DA MULHER


Neste dia internacional da mulher a Pastoral Vocacional da Arquidiocese de Fortaleza agradece a Deus pelo testemunho e pelo exemplo de tantas mulheres que nos rodeiam e que são sinal da presença do Amor de Deus em nossas vidas, na Igreja e no mundo.
Um abraço todo especial todas as Religiosas presentes em nossa Igreja Particular, aquelas que estão na missão ou na clausura. Suas presenças alegram a vida e mostram a generosidade da doação da vida em favor dos menores.
Um abraço todo especial, também, às nossas benfeitoras, às mães dos inúmeros sacerdotes e seminaristas de nossa Arquidiocese, nossas queridas mulheres das Equipes de Nossa Senhora, e dos demais Movimentos, Pastorais e Comunidades, enfim a todas que doam sua vida pela causa do Reino de Deus.
Mas, neste dia sobe também uma oração por todas as mulheres que sofrem com a violência e o descaso.
QUE MARIA, A MÃE DE DEUS E NOSSA ABENÇOE A TODAS A CADA UMA!

Pe. Rafhael

5 de mar de 2012

Bote Fé e a Jornada Mundial da Juventude, por Dom José Antonio


Com todo o Brasil Fortaleza está vivendo a preparação para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) – RIO 2013, que contará com a presença do Santo Padre Bento XVI.
Estão em peregrinação por todas as dioceses do Brasil a Cruz e o Ícone de Nossa Senhora, símbolos da Jornada. Estaremos recebendo os mesmos, juntamente com os jovens de nossa Arquidiocese quinta (1), sexta (2) e no sábado (3). Os símbolos da JMJ continuarão sua visita a todas as outras dioceses do Ceará.
O Setor Juventude da Arquidiocese de Fortaleza preparou um programa de recepção desta Cruz em missão. Teremos com ponto alto um evento chamado Bote fé, assim chamado pela mesma juventude.
O evento será realizado no aterro da Praia de Iracema em Fortaleza, no dia 3 de março, começando às 15 horas. A missa será às 18 horas e o término do evento está previsto para aproximadamente 23 horas.
O prosseguimento do projeto Bote fé se dará com um subsídio preparatório para a Pré-Jornada e Jornada Mundial da Juventude. Esse subsídio, elaborado pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), será indicado como material para reuniões mensais em cada paróquia, nas quais o pároco deve reunir todas as realidades jovens da paróquia para um momento formativo e oracional.
Esse projeto quer terminar com a pré-jornada que até agora tem sido trabalhada na comissão de Juventude da CNBB como uma grande missão nacional de evangelização. Essa missão se desenvolveria a nível paroquial e seria uma semana de missão e evangelização de toda a paróquia que sairia para visitar as casas.
Queremos convidar a todos os nossos sacerdotes, pastores de nossa Arquidiocese para participar dos eventos juntamente com os jovens de suas comunidades. Esperamos seja grande estímulo para a evangelização de nossa juventude.
Artigo de Dom José Antonio Aparecido Tosi Marques publicado no jornal O Povo de 01 de março de 2012

LEIA E VEJA O QUE A IGREJA NO BRASIL ESTÁ FALANDO SOBRE O BOTE FÉ FORTALEZA! É ISSO MESMO, VALEU FORTALEZA, VALEU JUVENTUDE!

Fonte: Site da CNBB Nacional

Que a Jornada Mundial da Juventude será em 2013, de 23 a 28 de julho, na cidade do Rio de Janeiro, já não é novidade para muita gente. O que muitos não sabem é que ela não se limita apenas a estes dias. Logo depois do anúncio oficial feito pelo papa Bento XVI para realização da Jornada no Rio, todo o país, de forma especial a Igreja no Brasil e as 276 dioceses, nos seus 17 Regionais, já estavam trabalhando.
O Projeto “Bote Fé”, por exemplo, que tem como carro chefe a peregrinação dos símbolos da JMJ (Cruz e o Ícone de Nossa Senhora), se realiza no território brasileiro, levando aos jovens o clima que envolve este que é o maior encontro do Bento XVI com a juventude católica de todo o mundo.
E para pensar, projetar e organizar todas as atividades precedentes à JMJ Rio 2013, a Comissão Episcopal Pastoral da Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, com a representação dos 17 padres referenciais do Setor Juventude, se reúne a cada dois meses para debater a JMJ e a Semana Missionária. A Semana, também conhecida como Pré-Jornada ou Dias nas Dioceses, são os dias que efetivamente preparam, de forma mais intensa, os jovens brasileiros e estrangeiros, em diversos lugares do país, para os dias da Jornada.
Na última reunião dos referenciais, foi tratado o subsídio, que será enviado a todas as dioceses com as diretrizes que vão reger os meses em preparação à JMJ, trabalhando temas específicos ligados diretamente à juventude no caráter de espiritualidade e gestos concretos.
Um dos pontos centrais da reunião foi a necessidade de formar e instruir as dioceses que acolherão peregrinos estrangeiros e a definição a programação base para toda a Semana Missionária, que ocorrerá simultaneamente em todo o Brasil.
Um dos participantes da reunião foi o represente do Comitê Organizador Local (COL) do Rio de Janeiro, padre Jefferson Gonçalves de Araújo, que abordou a logística e programação da Jornada, a fim de situar toda a equipe do andamento e preparativos de cada atividade que será realizada com os jovens na presença de Bento XVI.
Ao longo de todo o ano outras, reuniões serão realizadas, para ajustar o trabalho, a fim de que a Comissão da CNBB, juntamente com o COL no Rio de Janeiro, possam realizar em conjunto este encontro, que será um marco para a história da Igreja no país. Sonho de João Paulo II, que se atualiza aqui. Um presente para o Brasil, maior país cristão-católico e de maior expressividade de fé de todo o mundo.
Muito sol, calor e uma paisagem de tirar o fôlego. Foi neste belo cenário que 110 mil jovens acolheram neste final de semana a Cruz da Jornada Mundial da Juventude e o ícone de Nossa Senhora, no aterro da Praia de Iracema, em Fortaleza (CE). Após sair da Capela de São Pedro, milhares de fieis acompanharam a chegada dos Símbolos com muita emoção, ao som do famoso hino “Emmanuel”, da Jornada Mundial de 2000, em Roma. A cerimônia foi conduzida pelo fundador da Comunidade Shalom, Moysés Azevedo, e cantores da comunidade. “Jesus Cristo, ontem, hoje e sempre”: foi o que os fiéis repetiam à medida que os ícones passavam ao longo da praia. E, ao chegar ao palco, jovens dos diversos movimentos, pastorais e novas comunidades da Arquidiocese de Fortaleza receberam a Cruz e o ícone e rezaram diante dos símbolos.
A celebração Eucarística foi presidida pelo arcebispo de Fortaleza, dom José Antônio, e concelebrada por diversos sacerdotes da arquidiocese. A partir da Liturgia deste sábado, 3, dom José Antônio, afirmou que o amor não é um sentimento ou uma paixão, mas é dar a vida até o fim. “Com Jesus que morreu na cruz, aprendemos o que é o amor”, complementou. O arcebispo ainda reforçou a necessidade do testemunho cristão e que este deve ser concretizado a partir “de algo experimentado e vivido”.
“A cruz de Jesus nos faz viver de modo novo: com ela aprendemos a servir e não somente a ser servido”, declarou dom José Antônio, ao concluir seu discurso e recordar que o corpo de Jesus não está mais na cruz, mas Ele está vivo e caminha conosco sempre. O primeiro artista a se apresentar no Bote Fé foi o cearense Zé Vicente, que levantou os jovens com músicas como "Pelos caminhos da América".
Entretanto, com o objetivo de contribuir com a formação de jovens profissionais de comunicação, a partir de valores cristãos, as Comissões para a Juventude e da Comunicação, da CNBB, promoverão de 18 a 20 de maio, em Brasília (DF), o Seminário Nacional para Jovens Comunicadores.
O evento acontecerá em Brasília e as inscrições poderão ser feitas de 15 de março a 15 de abril, no site: www.jovensconectados.org.br. As vagas são limitadas.
Com o tema “Jovens católicos: comunicação que transforma vidas”, o encontro contará com uma programação diversificada: debates com profissionais de comunicação, bispos e sacerdotes, além de atividades musicais, teatro, painéis e rodas de conversa.
Além do Seminário para Jovens Comunicadores, outros dois estão marcados para este ano: o Seminário Nacional de Juventude e Bioética (de 13 a 15 de julho) e o de Juventude e Missão (de 28 a 29 de setembro). O primeiro tem a finalidade de aproximar jovens envolvidos em questões bioéticas, para refletir, à luz da fé e razão, sobre valores e princípios éticos. Já o segundo, tem o objetivo de impulsionar a juventude para a missão permanente de profetas e agentes de transformação social.

Fique ligado - Jubileu 16